Duplicação da 101 e ramal ferroviário contemplam Bahia

A duplicação da BR-101 na Bahia e um ramal ferroviário ligando Belo Horizonte-Salvador-Recife estão no novo pacote de concessões para incentivar investimentos na infraestrutura do país, lançado nesta quarta-feira (15), em Brasília, pela presidente Dilma Rousseff. O governador Jaques Wagner participou do lançamento e disse que o estado foi bem contemplado no programa de concessões para ferrovias e rodovias.

“A BR-101 vai ser completamente duplicada, da fronteira com o Espírito Santo até Salvador. A Ferrovia Oeste-Leste está em construção, mas tem um trecho pensado pra esta etapa de concessões, para a grande notícia que é a construção de uma ferrovia no sentido sul-norte saindo de Belo Horizonte, Salvador, Aracaju, Maceió e Recife. Um tronco absolutamente necessário principalmente para o pólo industrial aqui da Bahia, particularmente de Camaçari”, comemorou o governador.

“Este é um programa de concessões que envolve grandes corredores que se articulam com outras grandes rodovias do Brasil. Quando falamos da ligação entre Salvador e Belo Horizonte e Salvador e Recife, estamos falando de integrar o país, o Nordeste brasileiro com o Sul e o Sudeste”, destacou o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos.

Para o governador da Bahia, na parte logística, o novo programa vai integrar o Brasil levando em conta os vetores de desenvolvimento do Nordeste, o que foi muito aplaudido pelos governadores da região.

Investimentos em logística

Nesta fase, o programa de investimentos em logística prevê a aplicação de R$ 133 bilhões em reforma e construção de rodovias federais e ferrovias. Segundo o ministro dos Transportes, do valor total, R$ 42,5 bilhões devem ser aplicados na duplicação de 7,5 mil quilômetros de rodovias do país. O vencedor será o consórcio que oferecer a menor tarifa de pedágio. Outros R$ 91 bilhões serão aplicados na reforma e construção de 10 mil quilômetros de ferrovias ao longo dos próximos 25 anos.

Para Dilma Rousseff, as parcerias público-privadas (PPPs) são muito atraentes. “O Brasil oferece oportunidades de investimento com estabilidade econômica e baixos riscos. Reconhecemos as parcerias com o setor privado como oportunidades para a continuidade do crescimento. Estamos recuperando um modal que esteve estagnado, o modal ferroviário”.