Lixo urbano vira energia elétrica

Governo estuda geração de energia elétrica derivada do lixo urbano

O aproveitamento dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) para a geração de energia elétrica é um dos assuntos discutidos pelos gestores públicos da Bahia. Representantes da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) se reuniram com instituições governamentais para elaborar um projeto piloto de geração de energia derivada de RSU no interior do estado.A intenção é fomentar o desenvolvimento de outras matrizes energéticas pela Bahia. Com destino definido, os resíduos sólidos podem gerar eletricidade – uma energia limpa que deve reduzir a quantidade de gás poluente emitido na atmosfera.

Segundo o superintendente de Energia e Comunicações da Seinfra, Silvano Ragno, o projeto consiste da criação de um aterro sanitário piloto. “Queremos implantar o protótipo em aproximadamente três municípios do interior. A gestão destes espaços servirá de exemplo para ser replicado em todo o estado”.
Para o diretor de Resíduos Sólidos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Sérgio Tomich, a reunião é importante por unir conhecimentos diversos em prol da iniciativa. “Em nossa secretaria, já trabalhamos com projetos que envolvem o destino final do lixo. Poder contar com outras entidades, unindo forças e conhecimento, é bastante satisfatório”.
Do primeiro encontro, realizado na Superintendência de Infraestrutura e Transportes da Bahia (SIT), participaram entidades envolvidas no assunto como a Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Sedur, Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais (SEI) e representantes da União dos Municípios da Bahia (UPB).
Na Região Metropolitana de Salvador (RMS), já existe, no aterro sanitário, a Termoverde, uma termoelétrica que utiliza resíduos sólidos urbanos e tem potência para gerar aproximadamente 20 megawatts – suficiente para abastecer uma cidade de 150 mil habitantes.