Profissionais da Educação fazem manifestação na PMVC

Uma intensa manifestação movimentou o prédio da prefeitura municipal de Vitória da Conquista, na tarde desta terça-feira, 26. Munidos de apitos e cartazes, os profissionais da educação adentraram o recinto com a intenção de incomodar os gestores e tentar sensibilizá-los para que revejam a decisão de não atender as reivindicações da educação e reabram as negociações.

Contando com o apoio de mães de alunos da rede, o grupo também levou algumas crianças, que foram encaminhadas aos gabinetes dos secretários, para que estes compreendessem a necessidade de valorizar o trabalho dos profissionais da educação. “A nossa intenção foi realizar um laboratório com o governo, para que estes reconheçam a importância do nosso trabalho”, explicou a presidente do SIMMP, Geanne Oliveira.

Durante meia hora em que permaneceu com as crianças, o secretário de administração, Gildásio Silveira, afirmou ser incapaz de exercer a função dos profissionais da educação, reconhecendo que esta é uma tarefa difícil de ser executada, merecendo, portanto, ser valorizada.

Já no gabinete do secretário de governo, Edvaldo Alves, as mães reafirmaram o apoio ao movimento da categoria e, além de solicitar as melhorias para as escolas e creches as quais seus filhos estudam, ainda reforçaram que é preciso sim valorizar o trabalho dos profissionais.

Este é o segundo dia da greve dos profissionais da educação, que decidiu mais uma vez realizar o movimento paredista em virtude de o governo negar a reformulação do plano de carreira e, consequentemente, não valorizar a formação de especialista, mestre e doutor; e não reconhecer o SIMMP enquanto sindicato dos profissionais da educação, mesmo tendo realizado a reforma estatutária.

Para Isaurina Souza, da Creche Municipal Maria de Lourdes, este é o momento de cobrar o reconhecimento do governo. “Muito mais do que reivindicar salário, nós estamos aqui porque queremos ser reconhecidos enquanto profissionais da educação”, resumiu a monitora.

 Ao final do movimento, os gestores sinalizaram a possibilidade de reabrir as negociações. A categoria vibrou com a notícia e saiu da prefeitura bradando: “Educação unida, jamais será vencida”.

O SIMMP aguarda o agendamento de uma reunião e, independente disso, realiza uma assembleia extraordinária com os profissionais da educação, na tarde desta quarta-feira, 26, na Câmara Municipal de Vereadores.