UESB promove conferência de formação de lideranças jovens


por Emanuela Lisboa

“Entenda a cidade que você vive”. Esse é o convite que o projeto de extensão “Formação de lideranças comunitárias e agendas das pequenas cidades do Território de Identidade de Vitória da Conquista” faz aos jovens e comunidades em geral dos municípios que fazem parte da região. Para apresentar as ações do projeto à comunidade acadêmica, foi realizada a conferência “Formação de lideranças jovens. Pensar a Cidade: Desafios e Possibilidades”, na manhã dessa quarta, 11, no Teatro Glauber Rocha, campus de Vitória da Conquista.

As ações executadas envolveram 14 municípios e cerca de 400 jovens da rede pública de ensino. Os estudantes participaram de oficinas, produziram vídeos e elaboraram paineis com as pesquisas sobre as suas cidades. O Projeto começou em 2012, um convênio entre a Uesb e o Ministério da Educação, com iniciativa do ex-professor do curso de Geografia Jânio Santos. As ações de capacitação começaram a ser realizadas a partir de maio deste ano. “Eu assumi esse projeto em nome dele. Assumi esse ano e fomos com esse intuito de formar lideranças jovens pra que esses jovens possam pensar melhor a cidade onde eles vivem, para que possam também atuar melhor na cidade e fazer uma cidade melhor para todos”, explicou a coordenadora, professora Ana Emília Ferraz, do Departamento de Geografia (DG).

Ferraz também fala sobre o que é pensar a cidade em que moramos. “É pensar para além da gente mesmo. A gente às vezes vive numa cidade e não compreende a cidade que vive, está tão inteirado, talvez, na nossa escola, no nosso grupo familiar, nos nossos grupos de amigos e pouco percebemos que a gente faz parte da cidade e que a gente constroi a cidade”. O chamado é, aponta ela, para descobrir o município. “O que a gente tem nessa cidade, como ela está formada, que tipo de praça a gente tem, que tipo de problema, tem água, onde é o lixo descartado, então, pensar a cidade é pensar no plano mais geral, para além do nosso dia a dia”, destacou. Ainda de acordo com a coordenadora um aspecto importante que precisa ser observado pelos moradores é o Estatudo da Cidade. “Uma legislação extremamente importante e que pouca gente conhece. No Estatuto da Cidade existe a previsão de uma atuação mais forte da comunidade e foi esse chamamento que a gente quis fazer ao jovem, pra que ele se torne mais ativo e participe mais da gestão da sua cidade”, salientou.

“É uma satisfação muito grande poder estar aqui participando desse momento. Esse é um trabalho fundamental da Universidade, deixando esse legado para o futuro dessas comunidades ao trabalhar essa juventude na formação de lideranças para o futuro. É de fato uma formação de pessoas que a Universidade participa, além dos seus cursos formais”, reforçou o reitor da Uesb, professor Paulo Roberto Pinto Santos.

Bolsista do Projeto, Jamily da Silva Fernandes participou de oficinas como monitora, e relata a sua experiência. “A gente percebeu que os alunos inicialmente não conhecem as cidades deles. A partir do que a gente vai questionando, eles vão buscando, vão descobrindo que a cidade tem pontos positivos, que eles podem contribuir com o desenvolvimento da cidade e acabam se envolvendo mais com as questões da cidade”. Foi a descoberta feita por Amanda Regina de Souza, estudante do segundo ano do ensino médio, do município de Guajeru. “A gente achava que Guajeru não tinha muitas coisas, mas depois a gente foi pesquisando e tem muitos lugares que podem ser melhorados e que a cidade tem capacidade de se tornar uma cidade boa e melhor pra viver”, observou a jovem.

Valorizar a cidade é um passo importante para buscar melhorá-la. Com esse pensamento, foi desenvolvido no colégio onde a professora Irene Souza trabalha, em Guajeru, o projeto “Meu lugar é show”, e quando ações da Uesb chegaram, houve um complemento das atividades. “Para nós foi uma alegria imensa quando a professora Ana Emília contactou a escola, e aí nós pudemos unir o últil ao agradável. Nós já estávamos nesse trabalho de conhecer o nosso município porque percebemos que ele tem algumas necessidades pra desenvolvimento, então, o projeto da Uesb veio justamente nos abrir os olhos, fazer com que os alunos acreditem que eles são realmente protagonistas, que eles podem transformar o lugar onde vivem, se não com ações, mas com discussões, com reflexões levando ao conhecimento do poder público”, relatou a docente.

Durante a Conferência foram lançados 14 livros, cada um referente ao município participante do Projeto. Se quiser saber mais detalhes sobre as ações, entre em contato por meio dos números (77) 3424-8680, Colegiado de Geografia; e (77) 3424-8660, DG.