Alunos falam das pequenas corrupções do dia a dia

Assista ao vídeo https://youtu.be/xRUHXxdgaE8

500 mil estudantes de todo o país criticaram em seus trabalhos atos como “furar fila, falsificar carteirinha e subornar um guarda”

No meio de tantas preocupações de criança, como o dever de casa, a brincadeira e as férias de verão que estão para chegar, 500 mil crianças de todo o País tiraram um tempo do seu dia a dia para participar do 7º Concurso de Desenho e Redação da Controladoria Geral da União (CGU), com o tema de pequenas corrupções.

Dos 39 classificados em primeiro lugar, tanto nos desenhos quanto nas redações, a imagem era a mesma: pequenas ações do dia a dia, como furar fila, falsificar carteirinha e subornar um guarda de trânsito, são vistas como tão erradas como as corrupções que aparecem no noticiário.

A vencedora da redação do 8º ano do Ensino Fundamental, Vitória de Andrade e Borba, de 13 anos, contou a história de uma criança que ia para um protesto contra a corrupção com a mãe. Mas, no caminho, a mãe cometia uma série de pequenas atitudes como furar o sinal vermelho.

“E, no final, a frase que eu achei interessante foi que eu falei assim: ‘como é que a gente pode limpar o Brasil com as mãos tão sujas assim?’”, disse.

O aluno Rafael Gonçalves Silva, também de 13 anos, que ficou em primeiro lugar na redação do 7º ano do Ensino Fundamental, admitiu que vai passar a rever as próprias ações. “Eu também cometia pequenas corrupções, mas vou repensar o que eu faço no dia a dia˜.

Já a aluna Ana Clara Sebba, ganhadora do prêmio de redação do 6º ano do Ensino Fundamental, com apenas 11 anos, explica que o maior problema das pequenas corrupções é formar uma pessoa que não vê erro em cometer pequenas infrações. “Pessoas que cometem pequenas corrupções hoje, um dia, podem cometer corrupções maiores.

Fonte: Portal Brasil