Câmara vota projetos em sessão ordinária

 

Projetos são votados na manhã dessa quarta-feira na Câmara Municipal

ASCOM CÂMARA

Vereadores participaram de sessão ordinária realizada no plenário da Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) na manhã dessa quarta-feira (31), com o objetivo de votar e aprovar melhorias para a cidade. Dentre os assuntos da pauta dessa quarta-feira o projeto de lei nº 21 que trata do incentivo ao livro e a cultura da leitura; o projeto de lei nº 23 que trata do descarte de lâmpadas, pilhas, baterias de celular, entre outros.

O primeiro vereador a se pronunciar foi o líder da Bancada de Oposição da Câmara, Arlindo Rebouças (PSDB), fez críticas ao Executivo Municipal apontando problemas na saúde, na educação, na segurança pública, no abastecimento de água, no cuidado com as estradas da zona rural do município e na infraestrutura da cidade. “Eu lamento muito pela falta de sensatez”, disse Rebouças.

A falta de água no município foi o assunto abordado pelo vereador Cícero Custódio (PSL). Ele lembrou que “hoje está terminando a tabela da embasa de racionamento de água”. Acrescentou dizendo que nos bairros mais periféricos da cidade, os moradores chegam a ficar até 15 dias sem receber água da embasa. “Principalmente nos bairros Senhoria Cairo, Miro Cairo”. Cícero relatou que o município teve verba do governo para solucionar o problema e que “até o momento nada foi feito”. Falou que a zona rural está sofrendo com falta de água. E questionou o que está sendo feito para resolver o problema. “A gente vai nos bairros carentes e continua tudo do mesmo jeito, carregando baldes de água na cabeça. Os bairros mais carentes da cidade é quem mais sofre. Já teve audiência, fizemos documentos, e até agora nada. Temos que tomar providências”. Finalizou pedindo que todos os parlamentares assinem um documento que ele estará enviando a Embasa para cobrar uma posição sobre a regularização no abastecimento de água na cidade.

O vereador Edjaime Rosa-Bibia (PMDB) disse que existem promessas sendo feitas a 20 anos no município. “Muitos só pensam no poder”. Acrescentou que “a carência de água é culpa do PT”. Esclareceu que a falta de água em Conquista vai impedir a reeleição de muitos vereadores, “porque não vão ter moral para pedir voto. As pessoas serão humilhadas na hora de pedir voto”. Denunciou que “os vereadores da situação não cobram, não gritam”, citando também o fechamento da Cesta do Povo. “A fábrica de medicamentos está enferrujada e a Casa para o Alcoólico está sem terminar. As ruas dos bairros periféricos estão abandonadas”. Também questionou a ausência da Guarda Municipal em Vitória da Conquista. “Está na hora de repensar. Precisamos pensar no futuro de nossos filhos”.

O vereador Professor Cori (PT) ressaltou a importância do Projeto de Lei nº 21/2016, de sua autoria, que dispõe sobre a Política Municipal de Incentivo ao Livro e à Cultura da Leitura. Segundo o edil, o Legislativo tem tido o compromisso de apresentar propostas viáveis para a juventude do município. O vereador pediu a colaboração dos colegas para a aprovação do projeto. Em sua fala, Cori ainda comentou o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado. Para ele, a democracia brasileira passa por um momento de fragilidade, com parte considerável do Congresso Nacional envolvida em casos de corrupção. O parlamentar defende uma reformulação do sistema político e eleitoral que leve ao fim a política baseada no dinheiro e na troca de favores.

O vereador Álvaro Pithon (DEM) pediu, durante o seu pronunciamento, que a Vigilância Sanitária e Ambiental fiscalize a feira do Ceasa, no centro da cidade, para que os feirantes que ali atuam sejam impedidos de expor os seus produtos alimentícios no chão da feira, a fim de evitar a contaminação dos alimentos. Ele explicou que há muito tempo vem cobrando ações no local para que lonas que servem de coberturas sejam retiradas e substituídas por coberturas fixas, o que melhoraria o funcionamento do local, “os feirantes precisam de um local melhor para vender seus produtos”, alegou. Ele disse que recentemente, “justamente no período eleitoral, a prefeitura resolveu fazer essas substituições”.

Trabalhando sempre em defesa dos animais, o vereador Sidney Oliveira (PRB) aproveitou a oportunidade para agradecer a todos que se juntaram ao seu mandato para trabalhar em prol dos animais. “Durante esses quatro anos tenho defendido a bandeira de defesa dos animais, e volto a lembrar que precisamos urgente do centro de zoonoses em Vitória da Conquista”. Ele lembrou que durante esse período como vereador o seu mandato entrou com três projetos que segundo ele, “resolveriam problema de saúde pública em nossa cidade”. Lamentou que, esses projetos não foram aprovados pela câmara municipal mas afirmou que se for reeleito irá novamente reapresentar os projetos, que são de implantação de castra móvel, desconto no IPTU de quem adota um animal de rua e um outro que trata do registro de animais de rua. Por fim, Pastor Sidney falou das emendas que conseguiu com deputados federais para construção do centro de zoonoses e pediu celeridade no processo de construção.

O vereador Fernando Vasconcelos (PT) disse que “estamos em um momento importante da democracia onde a reflexão em torno da política é mais presente. Quando percebemos que esse processo passa rapidamente, daqui a um mês acaba e a vida continua, temos que ter o respeito, a cortesia e a educação, e entender que uma cidade com mais de 200 mil eleitores, tem espaço para todos”. Informou que recentemente visitou o campus Anísio Teixeira da Universidade Federal da Bahia (UFBA) em Vitória da Conquista, e que a luta é para a implantação da Universidade Federal do Sudoeste na Bahia. “Pauta necessária que todos abraçam. A partir do atual Campus, podemos tornar isso uma realidade. Finalizou parabenizando o Festival de Inverno realizado no último final de semana. “Evento que coloca Conquista no cenário nacional, movimentando a economia e o turismo, colocando no hall das grandes cidades do Brasil. Merece o reconhecimento dessa Casa”.

O vereador Andreson Ribeiro (PCdoB) reprovou conduta do empresário Waldir Mansur, proprietário da Viação Vitória. Segundo o edil, o empresário agrediu um funcionário da empresa Cidade Verde, conhecido por Leo. Andreson afirmou que o Sindicato dos Rodoviários foi omisso, “não se colocou à disposição em momento algum para assistir um trabalhador do setor dos rodoviários que, inclusive, é sindicalizado”. Waldir Mansur responde a um inquérito policial pelo caso, frisou o vereador. Andreson lamentou o ocorrido e a postura do empresário. Ele ressaltou que a empresa devia cumprir as exigências contratuais como o estabelecimento e manutenção de pontos de ônibus e número de veículos. “Ao invés dele vir aqui, na sua arrogância e prepotência, agredir um trabalhador que ele venha melhorar as condições da empresa dele”, disse.

O vereador Ademir Abreu (PT) pediu que o Parque da Lagoa do Jurema receba mais atenção dos fiscais porque o espaço está sendo local de descarte de entulho. “Quebraram a cerca de proteção e estão colocando uma quantidade enorme de entulho na Lagoa do Jurema”, contou. Segundo Ademir a lagoa está em estado precário de degradação.

Segundo ele, a degradação ambiental não é uma exclusividade da região. Abreu defendeu que seja instituído nas escolas do município a Educação Ambiental, a fim de criar a cultura do cuidado com o meio ambiente desde a infância dos moradores de Vitória da Conquista. “Essa questão ambiental faz parte da Lei Nacional de Diretrizes e Bases da Educação”, explicou o parlamentar.

Juvêncio Amaral (PSB) voltou a cobrar a execução das emendas parlamentares: “Três anos e meio de mandato somente uma rua foi pavimentada. Colocamos várias emendas para pavimentação de ruas, quadras poliesportivas e nada foi feito”. Ele lamentou a não execução das obras e falou que “essas reivindicações não são para rua de Juvêncio. É para toda uma população que tanto clama por uma cidade melhor, clama por uma área de lazer”. Ele encerrou seu pronunciamento lamentando mais um assassinato na cidade, dessa vez no bairro jurema: “Peço a Deus que conforte a família de Ada, que perdeu seu irmão em mais um ato de violência na cidade”.

O vereador Antônio Ricardo Pereira, Ricardo Babão (PSL), disse que “política tem que se fazer com amor no coração. Aqui é a Casa do povo, a cidade que representamos. Raiva e críticas destrutivas não levam a nada. Façam críticas construtivas”. Afirmou que em cada canto estão máquinas da prefeitura trabalhando. Esclareceu também que vários vereadores já foram contemplados em suas emendas. Babão entende que “não podemos citar sigla partidária. Temos que pensar naquele que é honesto, que trabalha pelo povo. Sigla não trabalha, quem trabalha somos nós. Vamos respeitar cada colega, fazendo sua política, sem denegrir ou desqualificar o colega. Política é coisa séria, não é brincadeira. Está no dia a dia da nossa vida. Viva a democracia! ”

O vereador Luciano Gomes (PR), Líder do Governo, afirmou estranhar a crítica do colega Juvêncio Amaral (PSB), pois sua emenda foi a primeira a ser cumprida. Segundo ele, o governo municipal tem trabalhado por todo o município e os edis tiveram oportunidade de estar ao lado da gestão municipal entregando obras públicas.