Manifestação encerra greve dos professores municipais

 

A rede municipal de ensino de Vitória da Conquista encerrou nesta sexta-feira (24) a greve geral da educação, com uma manifestação na Praça Nove de Novembro. Em parceria com professores do estado, novamente, os profissionais da educação municipal foram às ruas criticar a atuação do governo, que está retirando direitos históricos dos trabalhadores, através de projetos em discussão no Senado. Nessa quarta-feira (22), inclusive, deputados aprovaram o projeto de lei que permite a terceirização do trabalho, ação que precarizará ainda mais as relações trabalhistas.

A PEC 287/2016 é outro grave projeto em discussão, que motivou os educadores a realizar a greve nacional – iniciada no dia 15 de março. Além dele, a cobrança pelo cumprimento integral da lei do piso, que é uma luta permanente dos Trabalhadores em Educação.

20170324_095427

Foram dez dias intensos de atividades realizadas pelo SIMMP em parceria com outras entidades e movimentos sociais de Vitória da Conquista, como manifestações em praças públicas, passeatas, panfletagens, aula pública, sessão especial, mesa redonda, dentre outras ações que visavam esclarecer a comunidade os motivos da greve e politizá-los acerca dos prejuízos que a PEC 287 trará para toda população brasileira, caso seja aprovada.

20170324_100337

A manifestação dos trabalhadores já teve uma repercussão positiva, uma vez que a votação da PEC da Previdência, que seria realizada no dia 28 de março, foi adiada. “Estaremos, a partir de agora, em estado de alerta. Se o governo federal insistir na proposta de acabar com a aposentadoria dos trabalhadores brasileiros, as manifestações irão continuar. Nesse momento, a presidente do SIMMP, Arlete Dória, está em Brasília, atendendo a convocação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), para justamente definir os próximos passos da luta”, explicou a Secretária Geral, Patrícia Tavares.

Na manifestação de hoje, a categoria deixou claro que, apesar de estar encerrando a greve nacional, a educação municipal pode deflagrar outro movimento grevista a qualquer momento, tendo em vista a aprovação do indicativo de greve pelos profissionais da educação na assembleia realizada na última quinta-feira (23). Além das pautas em discussão no atual movimento, a categoria está em campanha salarial e já encaminhou as reivindicações locais à prefeitura.

“Nós estamos aguardando a convocação do prefeito para iniciarmos as discussões da campanha salarial. Esse indicativo de greve já fica previamente aprovado porque, se os rumos da negociação não forem favoráveis a categoria, não ficaremos de braços cruzados”, explicou a Diretora de Saúde, Lígia Correia.

O SIMMP agradece a participação e empenho de todos os filiados que garantiram o cumprimento da agenda da greve. “A mobilização é o caminho para defendermos a manutenção dos nossos direitos e assegurarmos a conquista de novos. Continuemos juntos lutando e resistindo”, finalizou Patrícia Tavares.