Especialista denuncia abuso financeiro de idosos pelas próprias famílias

 

Dois idosos aposentados conversam nos jardins de Kamegdan Fort, em Belgrado, na Sérvia. Foto: Banco Mundial/Celine Ferre

Foto: Banco Mundial/Celine Ferre

 

Em pronunciamento para o Dia Mundial de Conscientização sobre o Abuso de Idosos, a especialista independente da ONU, Rosa Kornfeld-Matte, alertou para a exploração financeira contra quem chega à terceira idade. Segundo a analista, os responsáveis por esse tipo de violação de direitos são majoritariamente parentes da própria vítima. Problema “é desenfreado, mas amplamente invisível”.

 

“Infelizmente, a maioria dos agressores, que praticam o abuso financeiro, são os próprios familiares. Essa é uma questão particularmente delicada. É difícil, mesmo para profissionais experientes, distinguir entre uma transação financeira imprudente, mas legítima, e uma exploratória, que seja resultado de influência indevida, coação, fraude ou falta de consentimento informado”, explicou Kornfeld-Matte.

 

Segundo a especialista, alguns idosos chegam a reconhecer esse tipo de exploração, mas não trazem o caso à tona. Outros acreditam que o agressor tem algum tipo de direito aos seus recursos. “Algumas pessoas mais velhas também têm o desejo de dar compensações para quem lhes dá cuidado, afeto e atenção”, afirmou.

 

Kornfeld-Matte apontou que uma das dificuldades em combater o problema é a sub-notificação de ocorrências. “Isso ocorre, em parte, por (um sentimento de) lealdade, vergonha ou constrangimento das vítimas, que podem temer represálias, incluindo falta de afeto e cuidado.”

 

A especialista acrescentou que os melhores interesses do idoso devem ser a consideração principal ao diferenciar uma transferência de bens ou recursos feita com consentimento de uma transação feita de maneira exploratória e abusiva. De acordo com a analista independente, o abuso econômico é um padrão de comportamento recorrente em vez de uma situação única e costuma ocorrer durante um certo período de tempo.

 

Com o envelhecimento das sociedades, “espera-se que o problema cresça dramaticamente”, completou Kornfeld-Matte, que reiterou que a denúncia é um dos únicos meios para deter a exploração financeira. “Se você suspeitar que alguém de que você goste foi ou está sendo abusado, eu posso apenas lhe pedir urgentemente que se manifeste.”