Fim da Jornada Pedagógica: mais de 1.900 participantes

A Jornada Pedagógica 2019 chegou ao fim. Cerca de 1900 profissionais da Rede Municipal de Educação participaram do evento, que também atraiu professores universitários e estudantes. Ao longo dos últimos dois dias, o público se reuniu no Centro de Convenções Divaldo Franco para prestigiar palestras com profissionais de renome nacional, além de exposição e apresentações culturais. Neste ano, o evento abordou o tema “Inovar, avançar e transformar: o desafio de fazer acontecer”.

 

De acordo com o secretário municipal de Educação, Esmeraldino Correia, a Jornada Pedagógica vem para auxiliar no cumprimento das metas propostas para este ano.“ Alfabetizar todos no segundo ano, depois todas as crianças devem ser alfabetizadas; aumentar o Ideb, tanto nos anos iniciais como nos anos finais, para seis. São grandes desafios: controlar a frequência melhor, diminuir a disparidade idade-série”, exemplifica o secretário.

 

O evento teve êxito em sua finalidade, segundo a coordenadora do Núcleo Pedagógico, Tânia Novais. “Avaliamos que a Jornada Pedagógica realmente cumpriu com o objetivo que a gente tinha proposto, que é de promover uma reflexão na Rede acerca das práticas pedagógicas que precisam ser inovadas, precisam ser transformadas; para que realmente a nossa educação seja uma educação que a gente espera para o município, que é uma educação de qualidade, que garanta o sucesso dos nossos alunos”, explica.

 

Professora da Rede Municipal e atualmente vice-diretora da Escola Municipal Zulema Cotrim, Carla Rejane fez sua avaliação: “A Jornada é um evento que a gente espera o ano inteiro. É como se a gente fosse à fonte para beber de tanto conhecimento, e aí dá aquele ânimo para trabalhar o ano inteiro. O evento foi riquíssimo, graças a Deus a gente pode beber dessa fonte. A expectativa agora é de levar todo esse conhecimento para a escola, para que chegue realmente ao aluno, porque o nosso objetivo é aprendizagem do aluno.”

Professor Luís Vicente Ferreira

Programação de encerramento – Durante a última tarde do evento, o público assistiu a uma apresentação musical do Coral Vivência, do Centro de Convivência do Idoso, regido por Norma Eliete. A programação educativa ficou por conta do professor Luís Vicente Ferreira, que ministrou a palestra “BNCC – o desafio de tornar realidade as mudanças propostas”.

 

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento que deve nortear os currículos dos sistemas e redes de ensino em todo o Brasil. Ele também traz as propostas pedagógicas de escolas públicas e privadas. “Teremos as competências e habilidades que devem ser desenvolvidas com as crianças, desde a Educação Infantil ao Ensino Médio, para todo o país; de tal maneira que uma criança no Rio Grande do Sul ou em Roraima tenham as mesmas competências. Com isso atingimos a equidade”, explica Ferreira.

 

A consolidação das mudanças propostas pela BNCC enfrentam alguns desafios. Ainda segundo o professor Luís Vicente, o maior deles passa pelo fato de nosso país ser “tradicionalmente conteudista”. Ele esclarece: “A BNCC prevê o saber fazer. Então, hoje, não adianta mais apenas ensinar o que é equação de segundo grau; é para saber o que eu faço com ela, resolver cálculos de áreas pra minha vida, para o meu mundo do trabalho.”

 

Texto e imagens: Secom PMVC.