Filmes de cineastas da Uesb integram Mostra Cinema Conquista

Contar histórias, levantar debates e provocar experiências estéticas por meio do cinema.

Decidida a tentar emagrecer novamente, após mais uma provocação de sua mãe, Dora está em frente a uma vitrine de lojas da cidade. A cena inicial do curta-metragem “Cintura 56” foi pensada por Caio Andrei, em 2017, antes de iniciar a pré-produção do filme e enquanto retornava da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, nas primeiras semanas de aula no curso de Cinema e Audiovisual. Neste ano, o trabalho final ganhou as telonas da Mostra Cinema Conquista, maior evento da área no Sudoeste da Bahia.

Caio foi um dos diretores conquistenses que teve sua obra escolhida para integrar a programação desta 14ª edição da Mostra. A experiência de ver o Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima cheio de pessoas assistindo a sua primeira produção exibida em um evento desse porte foi indescritível: “é muito grande!”. Para ele, o reconhecimento é motivador. “Toda a equipe está muito feliz. De forma geral, é um processo novo. Somos da terra de Glauber [Rocha], e as pessoas de Conquista gostaram dessa possibilidade de, em meio a tantos curtas de outros lugares, terem visto pessoas que elas convivem todos os dias ali, exibindo seu material. Vamos inscrever, agora, no Festival de Brasília e levar para outras mostras”, observou.

Narrativas do cotidiano – Além de Caio, o cineasta e professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade, Filipe Gama, integrou o time de artistas que participam do evento. O diretor assina dois filmes este ano: “101%”, que traz a história das videolocadoras em Vitória da Conquista; e “Zanata, fotógrafo de campo”, uma parceria com Rogério Luiz Oliveira, que documenta a história de um fotógrafo de jogos de futebol da zona rural no interior da Bahia.

Contar histórias, levantar debates e provocar experiências estéticas por meio do cinema. Para Filipe, a Mostra se faz como um espaço necessário, visto que “são espaços que nos ajudam a ver, a sentir, a viver a experiência do cinema”. Ele ainda destacou a importância da arte como instrumento de conhecimento e de resistência: “a Mostra é uma forma também de resistir e mobilizar nesses tempos tão cruéis e tão duros”.

Outras produções de estudantes e professores da Uesb fecham o grupo de filmes escolhidos pela Mostra: “Faber”, de Bruno Grigati e Kauan Oliveira; “A fome de Glauber”, de Denis Martins; e “Ele bebia gim à tarde”, de Lucas de Paula.

A Uesb na Mostra – Apoiadora institucional da Mostra desde sua concepção, a Uesb integra outras atividades do evento, sobretudo aquelas voltadas para formação e debate da sétima arte. Oficinas, conferências, bate-papos contam com o envolvimento de membros da Universidade durante os seis dias de atividades.

A 14ª Mostra Cinema Conquista segue até esta sexta, 6, e toda a programação pode ser conferida no site do evento.

Texto e imagens: Ascom UESB.