Aberto processo de licitação para mais uma etapa da revitalização da Ceasa

Texto e imagem: Secom PMVC

O Aviso de Tomada de Preços está disponível

Quem passa pela Central de Abastecimento de Vitória da Conquista (Ceasa) vê que muita coisa já mudou nos últimos anos: ordenamento do trânsito, melhor organização do comércio e bem-estar para os feirantes e consumidores. E vai ter mais revitalização no local.

A Prefeitura Municipal acaba de divulgar o Aviso de Licitação – Tomada de Preços nº 003/2020 para mais um etapa da obra.

Nessa etapa, haverá a padronização das barracas próximas da Secretaria de Serviços Públicos. Além das barracas padronizadas, os pisos vão ser reformados, os passeios em volta vão ter acessibilidade com piso tátil e novo capeamento de concreto, canteiros com paisagismo serão implantados, os sanitários da feira e do prédio da secretaria serão reformados e o reservatório será demolido, havendo ainda a construção de um novo.

A obra terá prazo de execução de cinco meses e a previsão do custo é de R$ 394 mil. A sessão pública da Tomada de Preços será realizada em 28 de fevereiro de 2020, às 9h, na Gerência de Compras, localizada na sede da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista (Praça Joaquim Correia, nº 55, Centro).

Etapas anteriores – No trecho voltado para a Rua Joaquim Nabuco, foi realizada a cobertura das galerias de águas pluviais. O trabalho de paisagismo e iluminação também foi feito. Com isso, o espaço ficou mais amplo, limpo e bonito. Também foi feito o fechamento das galerias na Rua Catão Ferraz. Além disso, obras da rede de captação de águas pluviais, passeios e colocação de guarda-corpos modificaram para melhor o aspecto local.

Lá, existia um desnível entre a Catão Ferraz e a Ceasa. A contenção entre os dois níveis, que visava impedir o desmoronamento da rua mais alta, estava em desgaste, oferecendo riscos à população. O principal motivo dessa deterioração era o tráfego de veículos pesados à margem da rua próxima ao desnível. Para resolver, a Prefeitura adotou algumas medidas durante a reforma. Uma delas foi a recuperação de um trecho que apresentava sinais de desgaste. Outra atitude foi construir um passeio na Rua Catão Ferraz, justamente na margem do lado do desnível, para impedir a passagem de veículos desse lado e, consequentemente, nova deterioração.