CODEFAT aprova parcelas adicionais do seguro desemprego

CODEFAT aprova pagamento de duas parcelas adicionais do seguro desemprego para trabalhadores do pólo calçadista do sudoeste baiano

Trabalhadores demitidos do pólo calçadista da Bahia vão receber duas parcelas adicionais do seguro-desemprego. A decisão, aprovada nesta quarta-feira (22), em reunião ordinária do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), realizada em Brasília, atende ao pleito do Governo do Estado da Bahia. A aprovação beneficiará diretamente a 7.379 trabalhadores das unidades de Caatiba, Firmino Alves, Itambé, Itororó, Macarani e Itapetinga no sudoeste da Bahia e o valor médio da parcela será de R$813,00.

Presente na reunião do Codefat, o secretário do Trabalho da Bahia, Nilton Vasconcelos, disse que desde o início, os conselheiros mostraram-se sensibilizados com a situação dos trabalhadores demitidos do pólo calçadista do sudoeste baiano. Falou sobre a crise na região, e explicou que 80% da população ativa da região dependia do emprego da indústria de calçados, com cerca de 20 mil pessoas empregadas. As duas parcelas adicionais do seguro-desemprego deverão injetar cerca de R$ 6 milhões, na economia local.

Intervenções – Após o fechamento das 11 unidades do parque industrial da Vulcabras/Azaléia, apenas 8 mil trabalhadores continuam em atividade. “O governo do Estado fez intervenções para minimizar os efeitos da crise, mas a situação ainda é preocupante”, declarou o secretário. As duas parcelas adicionais do seguro-desemprego para os trabalhadores demitidos, seguirá os critérios estabelecidos pela Resolução nº 592, de 11 de fevereiro de 2009.

Logo após o desfecho das demissões, o Governo da Bahia defendeu a imediata liberação das duas parcelas adicionais do seguro-desemprego para os trabalhadores da Vulcabras/Azaleia. O assunto foi tratado pessoalmente pelo governador Jaques Wagner com a presidente Dilma Roussef e os ministros Guido Mantega (Fazenda), Brizola Neto (então ministro do Trabalho) e Fernando Pimentel (do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

Nilton Vasconcelos participou ainda de diversas reuniões e audiências públicas na Comissão do Trabalho, na Câmara dos Deputados, ao lado de dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores de Calçados da Região de Itapetinga; prefeitos das cidades atingidas pela decisão; e representantes do Fórum de Entidades Não- Governamentais de Itapetinga.

Qualificação – Em defesa dos trabalhadores  algumas decisões foram tomadas pelo Governo da Bahia. Uma delas, foi a oferta de 1.400 mil vagas em cursos de qualificação profissional este ano. Por meio da rede do SineBahia, intensificou a captação de vagas em empresas já existentes na região, além de estimular a geração de renda nos municípios onde as unidades foram fechadas.

O anúncio oficial do fechamento das unidades aconteceu em 26 de novembro de 2012 e atingiu as cidades de Caatiba, Itambé, Macarani, Itororó, Iguaí, Potiraguá, Ibicuí, Itaranti e Firmino Alves, interior da Bahia. Ao todo foram cerca de 3.500 operários demitidos. Com o fechamento, a empresa centralizou ações em Itapetinga. Além dos direitos trabalhistas – aviso prévio, férias, 13º salário etc -, os trabalhadores asseguraram na negociação o pagamento de dois salários adicionais e a oferta de cinco cestas básicas.

 

Ascom Setre

22.05.2013

Licio Ferreira-DRT BA 793