PMVC

Lima, a cidade dos Reis!

Família Goldschmidt em Lima, Peru.

Lima é uma cidade antiga, fascinante, movimentada. Sua história colonial tem pouco mais de 500 anos, desde que foi fundado pelo conquistador espanhol Francisco Pizarro. Todavia, sua história pré-colombiana começa muito antes, a quase 2 mil anos atrás, quando foi habitada pelo povo que lhe emprestou o nome.

PMVC

Lima é uma cidade de contrastes, que mistura com equilíbrio o antigo e o moderno. 

No bairro de Miraflores, o moderno shopping Larco Mar se debruça sobre as falésias da cidade, permitindo uma visão privilegiada do oceano desde suas amplas sacadas. Não longe dali é possível caminhar pela Huaca Pucllana, uma pirâmide cerimonial construída com tijolos de adobe (mistura de barro e palha) há mais de 1.700 anos. A sua construção foi realizada no estilo diferente, com tijolos acentados na posição vertical, o que a permitiu resistir ao tempo e aos terremotos que assolam a região.

O bairro de San Isidro é um dos mais nobres da cidade. Na região existe um clube de golfe, hotéis luxuosos, lojas de grife e um parque com oliveiras plantadas pelos colonizadores espanhóis há mais de 400 anos. Apesar de ser um parque, possui em seu interior inúmeras casas em estilo europeu, espalhadas entre as oliveiras que ainda produzem azeitonas duas vezes ao ano.

O lugar mais visitado da cidade é o centro histórico, onde está a Plaza de Armas. Ali estão representados os principais poderes do país, o Palácio Presidencial, a prefeitura de Lima e a Catedral da cidade, representando os peruanos católicos, quase 80% da população do Peru. Perto dali, está também o convento de San Francisco, famoso pelas suas pinturas da escola cusquenha e suas catacumbas repleta de ossos humanos. Uma visita imperdível.

Na região de Miraflores, encontramos o Mercado de Surquillo, um dos muitos mercados populares de Lima, que contém um pouco de tudo o que é produzido no país. É uma boa maneira de conhecer os produtos locais e começar a pronunciar nomes estranhos para nós como Chirimoya, Lucuma, Granadillos e Tuna.

No mercado também se encontram uma grande variedade de batatas (originais dos Andes) e espigas com milhos de todas as cores.

A cidade está repleta também de museus, afinal o Perú foi o berço de várias civilizações por quase 5 mil anos. Um dos mais importantes é o Museu Larco Herrera. O museu tem peças de cerâmica representando quase todas as civilizações que já habitaram o Peru. Há também um cofre especial com peças de ouro e prata, Todas as salas estão cheias de prateleiras lotadas de vasos antigos que chegam até o teto. Estes vasos são especiais, pois são um espécie de enciclopédia das antigas culturas. Neles estão representados pessoas, frutos, animais e costumes das civilizações do norte do Peru como os Moches e os Chavin. O museu reserva uma sala somente para os vasos com motivos eróticos. Outros museus de igual importância são o Arqueológico e o Museu do Ouro.

 

Outro lugar interessante é o bairro Chinês, a maior colônia estrangeira estabelecida no Peru. Eles chegaram em 1849 para trabalhar na agricultura e não saíram mais. Hoje seus descendentes estão espalhados por toda a cidade, mas se concentram especialmente em Chinatown, com suas ruas tipicamente decoradas, lojas de importados e restaurantes. Da mistura da cozinha oriental com os ingredientes peruanos fez surgir as Chifas, restaurantes que são uma verdadeira mania dos limenhos. Pratos orientais com o tempero dos Andes.


Além das Chivas, Lima oferece várias opções de bons restaurantes. Um deles é o Puro Peru (bairro de Barrancos) que tem um grande buffet de comida típica. Dentre as várias opções quero mencionar os “Anticuchos”, prato bem popular que consiste em um espeto com carne de coração de boi. Outro prato é a “Causa”, uma massa feita de batata recheada com carne, frango ou peixe. Entre as sobremesas sugiro provar o “Suspiro Limeño” (com doce de Leite) e Mazamora Morada, uma gelatina feita com milho roxo acompanhado de canela e pedaços de frutas. Uma delicia! Não poderia terminar sem mencionar os Picarones, um tipo de rosquinha frita que é servida com melado de Cana de Açúcar. Imperdível!

Outro restaurante bem conhecido é o Rosa Náutica, construído sobre um píer de madeira a beira mar. Dentre os pratos servidos está o Ceviche, estrela da culinária peruana. Trata-se de pedaços de peixe curtidos no limão e servidos acompanhados de batata doce, milho branco, cebolas cruas, algas marinhas e rococó, parecido com nosso pimentão vermelho. Forte, porém saboroso.

Para mergulhar um pouco mais na cultura, sugiro assistir a um show de dança folclórica. Eles são apresentados em vários restaurantes de Miraflores e San Isidro. Dentre as várias danças apresentadas, duas chamaram nossa atenção. Uma foi a “Marinera”, uma dança originada a região de Trujillo (norte) e que tem uma versão Limenha e também a “Danza de las Tijeras” (tesouras), originária da região de Ayacucho. Acompanhados por violino e harpa, os bailarinos dançam levando na mão as lâminas separadas de uma tesoura. Com habilidade usam as partes como instrumento de percussão enquanto dançam. A dança representa uma disputa entre quem consegue fazer os movimentos mais estranhos tocando as tesouras sem perder o equilíbrio. Vale a pena assisti-las!

Para quem deseja saber mais de história, sugiro uma visita a Pachacamac, um centro cerimonial da civilização Lima, datado do ano 300 D.C. Pachacamac era o deus supremo, criador de tudo e de todos. O interessante é que cada civilização que os sucedeu em Lima continuou a adorar o seu próprio deus no mesmo lugar, sem destruir os antigos templos. Os últimos foram os Incas que ergueram o maior e mais alto dos templos dedicado ao deus sol. O resultado é um complexo gigantesco, cuja grande parte ainda esta enterrada.

Perto de Pachacamac, no mercado de Lurin, é possivel experimentar uma iguaria peruana, o suco de rã. Originario da região de Huancayo é considerado fortificante para os ossos e músculos. Em um liquidificador são acrescentados suco de Maca (considerado afrodisíaco), mel, Algarrobina (extraído de uma árvore do deserto) e obviamente uma bela e fresca rã. Tudo é batido por alguns minutos e servido quente.  Não é fácil encarar este suquinho!

Não podemos falar de Lima, sem mencionar um dos mais recentes atrativos turísticos, o Parque da Reserva ou Parque das fontes Mágicas, como é chamado pela população. Neste complexo em pleno centro limenho, foram instaladas 12 gigantescas fontes de vários formatos, estilos e cores. Algumas delas são interativas, com a Fonte Túnel onde você caminha por dentro de um arco de água ou a Fonte das Crianças, cujo objetivo é brincar e molhar-se nos jatos de água que saem de surpresa do chão.

Como você pôde ver, Lima é grande, completa e fascinante. Há muito mais para se conhecer, por isto sugiro um minimo de 2 ou 3 dias nesta cidade. Para saber mais, assista ao video abaixo ou entre no site da Gold Trip. Boa Viagem!

* Peter Goldschmidt é membro da Família Goldschmidt que desde 1999 viaja pelo mundo descobrindo e divulgando novos roteiros turísticos. É também diretor da agência de turismo Gold Trip.  www.goldtrip.com.br – (11) 4411-8254