Rodoviários elegem Álvaro Silva Souza presidente

Terminadas as apurações, a Chapa encabeçada pelo sindicalista Álvaro Silva Souza, confirmou sua superioridade ao alcançar 756 votos, contra 28 obtidos pela Chapa encabeçada pelo atual presidente Carlos Fernandes, encerrando o processo eleitoral do Sindicato dos Rodoviários. O quorum exigido para essa eleição seria de 50% dos sindicalizados e, segundo a comissão que acompanhou o desenrolar dos fatos, não há nada a se questionar.

Durante todo o dia de hoje, sexta-feira, 18, os rodoviários  votaram pela terceira vez esse ano, na tentativa de eleger a nova diretoria do Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista. Trata-se de uma instituição que detém uma das maiores receitas no Estado da Bahia. Na primeira votação, ocorrida em janeiro desse ano, houve suspeita de fraude que levou a Justiça do Trabalho a intervir, concluindo pela anulação daquele pleito. No dia 03 de outubro, novas eleições aconteceram, mas a Comissão que acompanha o caso por determinação judicial, entendeu que não houve quorum suficiente para assegurar o resultado e marcou para essa sexta-feira, 18, o novo pleito.

Há que se considerar que o candidato Álvaro Silva Souza, autor da impugnação da primeira eleição, recebeu 735 votos, contra 23 da chapa opositora. O quórum estipulado pela Justiça para a eleição para escolha da nova diretoria do Sindicato dos Rodoviários seria de 858 votantes, mas compareceram 756. O resultado foi uma vitória acachapante da Chapa II, encabeçada por Álvaro Souza,  que alcançou 735 votos, contra apenas 23 da Chapa I – liderada pelo atual presidente Carlos Fernandes. O resultado da apuração não deixou nenhuma dúvida, 735 x 23 em favor da Chapa II. Os advogados da chapa II interpelam a justiça para validar o resultado.

 A Polícia Militar, a Polícia Civil e os órgãos de defesa dos direitos dos cidadãos acompanham os fatos e estão vigilantes para não permitir tumultos entre os grupos de concorrentes.

As Eleições sindicais que podem mudar política conquistense

Fotos: Blog do Anderson

 Fotos: Blog do Anderson

Essa semana foi  decisiva para a política em Vitória da Conquista.  Isso porque, conforme decisão judicial,  os rodoviários conseguiram anular as eleições do processo eleitoral do Sindicato dos Rodoviários que havia sido realizada de forma considerada irregular em janeiro desse ano, cancelando o resultado então alcançado. Novas eleições acontecem nesta quinta-feira, 03, em processo cuja campanha vem sendo acompanhada por uma comissão composta por representantes de diversas categorias da sociedade organizada e do Ministério Público do Trabalho.

Essa é sem dúvida uma das primeiras vitórias da democracia conquistense. Quando uma chapa se sentiu prejudicada, foi para a justiça e essa referendou o entendimento, revertendo o processo eleitoral.

Há duas décadas no poder, Carlos Fernandes buscava a sua permanência na presidência da entidade, mas a opositora Chapa 2, encabeçada por Álvaro Silva Souza, lutou para se eleger, desde o primeiro momento. A analise dos especialistas é de que essa mudança pode alterar muito o quadro sindical na cidade, onde os grupos que detém o poder, não permitem que sindicalizados extra grupo, tentem se candidatar. Álvaro e seus advogados provaram que isso é possível. Basta achar o caminho certo.

Entenda o caso

A eleição do Sindicato dos Rodoviários aconteceu no dia 03 de janeiro de 2013, somente com uma chapa, liderada pelo atual presidente, Carlos Fernandes, pois, este juntamente com a comissão eleitoral de então conseguiu impugnar a outra chapa concorrente, de oposição, de forma arbitrária, sem respeitar o direito de ampla defesa e do contraditório.

A situação se agravou mais ainda, quando as empresas Serrana e Vitória demitiram 12 (doze) de seus funcionários que participaram da campanha eleitoral, um dia após essa eleição.

Assim sendo, ficou evidente que as empresas não iriam permitir que ninguém poderia questionar os interesses dos sindicalizados.

Porém, os componentes da Chapa 2 de oposição, que ficou prejudicada mais os Advogados Toni Alcântara e Danilo Bastos foram até ao Ministério Público do Trabalho para denunciar as possíveis agressões aos direitos dos trabalhadores. A partir das informações dos membros da chapa de oposição, testemunhas e fartas provas documentais, o procurador ajuizou uma Ação Civil Pública com o objetivo de anular a eleição. No dia 04 de julho a juíza Cyntia Cordeiro Santos decidiu ANULAR A ELEIÇÃO DO SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS.

Ainda por decisão judicial, novo processo eleitoral teve início imediatamente e está sendo conduzido por representantes de entidades da sociedade civil e do poder público e também conta com a fiscalização do Ministério Público do Trabalho.