JUCEB exige Pedido de Viabilidade para alterações de empresas

A partir desta segunda-feira (18), a Junta Comercial do Estado da Bahia – JUCEB só recebe e protocola os atos de constituição de matriz e filial, inscrição de transferência de sede, alterações de atividade econômica, alteração de endereço, alteração de nome empresarial e alteração de natureza jurídica das empresas mediante a apresentação do Pedido de Viabilidade, independentemente do município estar ou não conveniado com a Junta.

O Pedido de Viabilidade, emitido pela Prefeitura de Salvador, é o formulário básico com as informações necessárias para a abertura e alteração de empresas. É a prefeitura que verifica se o local escolhido está apto para exercer a atividade econômica pretendida. O empresário ou contador poderá obter mais informações no site da Juceb.

A medida faz parte da implantação do Sistema de Registro Comercial Integrado – REGIN, que tem o objetivo de desburocratizar o processo de abertura e alteração de empresas, centralizando na Junta a entrada de informações cadastrais da empresas nos diversos órgãos públicos envolvidos no registro mercantil, a exemplo da Junta Comercial, Receita Federal e secretarias da Fazenda do Estado e dos 417 municípios baianos.

Cooperação 

“Os municípios que ainda não assinaram o convênio de cooperação técnica com Juceb vão criar mais dificuldades no processo dos atos de abertura e alteração empresarial, já que após o arquivamento do ato na Juceb, o usuário obrigatoriamente terá que procurar a prefeitura para ainda completar todo o processo de legalização”, explica o presidente da Juceb, Francisco Nobre.

Até agora só faz parte do sistema de registro comercial integrado na Bahia os municípios de Jequié, Porto Seguro, Jacobina, Serrinha, Luís Eduardo Magalhães, Paulo Afonso, Lauro de Freitas, Guanambi, Juazeiro, Alagoinhas, Itabuna, Feira de Santana, Bom Jesus da Lapa, Correntina, São Francisco do Conde, Simões Filho e Santo Antonio de Jesus.