Navios de guerra abertos a visitação em Salvador

Navios de guerra da Marinha do Brasil recebem visitação pública em Salvador

 O Navio Desembarque de Carros de Combate “Almirante Sabóia” (G25) e as fragatas “Constituição” (F42), “União” (F45) e “Rademaker” (F49), navios de guerra integrantes do Grupo-Tarefa que participa da operação TROPICALEX-2016, atracarão na capital baiana, nesta sexta-feira, 10 de junho, onde participam das comemorações alusivas aos 151º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha.

No sábado (11) e no domingo (12), os navios estarão abertos à visitação pública, das 14h até as 17h, com entrada gratuita, no Porto de Salvador.

 Exercícios – A operação TROPICALEX-2016 está sendo realizada no período de 06 a 22 de junho, na área marítima entre os Estados do Rio de Janeiro e da Bahia, parcela estratégica da “Amazônia Azul”, que abriga algumas das principais bacias petrolíferas sobre as quais o Brasil tem direito exclusivo de exploração.

 Sob o Comando da 1ª Divisão da Esquadra, a Operação TROPICALEX-2016 tem o propósito de elevar o grau de adestramento dos meios navais e aeronavais da Esquadra brasileira, por meio de exercícios que incluem o disparo real de armamentos, como o torpedo MK-46, além de exercícios simulados de aplicação do Poder Naval.

Também participa do exercício, o Navio-Patrulha “Guaratuba” (P50), baseado em Salvador e subordinado ao Comando do 2º Distrito Naval, além de aeronaves P- 3AM e P-95, da Força Aérea Brasileira.

 História – Considerada pelos historiadores como um momento decisivo na Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), a Batalha Naval do Riachuelo ocorreu na manhã do dia 11 de junho de 1865, na foz do Riachuelo, afluente do trecho argentino do Rio Paraná.

Naquele episódio, a Esquadra Brasileira, liderada pelo Almirante Francisco Manoel Barroso da Silva, travou uma intensa luta contra as forças oponentes. A resistência brasileira foi heroica: no combate, diversos brasileiros lutaram até a morte, dentre eles o Guarda-Marinha Greenhalgh e o Imperial-Marinheiro Marcílio Dias.

Até aquela data, as forças da Tríplice Aliança não detinham a iniciativa na guerra. Com a vitória naquela Batalha, o Brasil assumiu o protagonismo no conflito, bloqueando a navegação adversária e possibilitando aos aliados o acesso aos rios que formavam as principais artérias do teatro de operações de guerra.

Riachuelo representou a primeira grande vitória da Tríplice Aliança no maior conflito armado já ocorrido na América do Sul, sendo até hoje bastante lembrada e justamente comemorada.

Comando do 2º Distrito Naval – Assessoria de Comunicação Social. Tel: 71 3507-3851 – email: comsocial@2dn.mar.mil.br