Arlindo pede ação imediata de toda sociedade contra a violência

 

ASCOM CÂMARA
Arlindo Rebouças (PSDB)

Arlindo Rebouças

O vereador Arlindo Rebouças iniciou seu pronunciamento na sessão ordinária da Câmara Municipal de Vitória da Conquista, realizada nessa sexta-feira (02), esclarecendo que o papel do vereador é fiscalizar e legislar. “Não precisa delegar a outro vereador para fiscalizar. Não precisa pedir a comissão para fiscalizar. Ele mesmo pode apresentar a denúncia aqui e no Ministério Público”.

Arlindo informou que na última quarta-feira (30.11), representou a CMVC na palestra sobre o combate e a consequente diminuição da violência na cidade de Medellín, na Colômbia. “Acho que não houve muita novidade. Muita gente pensa que combater violência é colocar polícia na rua. A Polícia é como ambulância. Chega quando o fato aconteceu”.

O vereador solicitou que toda a sociedade seja chamada, “as igrejas, clubes de serviços, juiz, promotor, Ministério Público, Conselho Tutelar, a CMVC, o Prefeito e as polícias, além de outros setores da sociedade, para fazer ação social nos bairros”. Informou que alguns bairros não têm área de lazer, “só tem campo de futebol ou botequim com mesa de sinuca”.

Arlindo informou que nesse ano Conquista deve ter mais de 200 homicídios. “Dizem que são todos traficantes, mas não nasceram traficantes. Talvez não tiveram oportunidade na vida”. Exemplificou que em Conquista tudo é fora da comunidade mais carente: “O CEMAE é próximo da Universidade. A Justiça do Trabalho, Ministério Público estão longe da comunidade. A comunidade fica abandonada”.

O vereador afirmou que a população fica trancada dentro das casas e ninguém faz nada. “O prefeito é omisso e a maioria das igrejas são omissas. Atrás de um traficante, tem uma família que sofre. Precisamos combater a violência urgentemente. Não vamos esperar ser as vítimas, para combater a violência”.