fbpx

Direitos e cidadania entre usuários de drogas chega à ONU

Escritório da ONU conhece projeto na Bahia para promover direitos e cidadania entre usuários de drogas

 

Francisco Cordeiro, analista do UNODC, conhece participantes do ‘Corra pro Abraço’. Foto: ASCOM Corra pro Abraço

Em Salvador, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) conheceu na semana passada o programa Corra pro Abraço. A iniciativa tem por objetivo a promoção da cidadania e dos direitos de pessoas que fazem uso abusivo de drogadas e vivem em vulnerabilidade social. Projeto é implementado na capital e nos municípios Lauro de Freitas e Feira de Santana.

O Corra pro Abraço é baseado nas estratégias de redução de danos físicos e sociais. Visando aproximar seus beneficiários das políticas já existentes, a iniciativa busca romper o estigma e as desigualdades que ainda são um obstáculo ao acolhimento de usuários de drogas pelos serviços públicos.

Em viagem a Salvador, o analista do UNODC, Francisco Cordeiro, participou de uma sessão especial na Câmara Municipal de Vereadores, organizada para homenagear o programa. Ao longo de quatro anos de existência, o Corra pro Abraço já realizou mais de 80 mil atendimentos, levando ajuda para moradores de rua, jovens em regiões com altos índices de violações de direitos e pessoas oriundas do sistema prisional.

Durante o evento, a chefe da Superintendência de Políticas sobre Drogas Atenção a Vulneráveis (SUPRAD), Denise Tourinho, reiterou que é de suma importância para a sustentabilidade da iniciativa o estabelecimento de parcerias com organismos internacionais.

“O programa tem investido na sistematização dos seus dados, resultados quantitativos e qualitativos e conta com o apoio técnico institucional do UNODC na qualificação desse processo”, explicou.

Na tarde do mesmo dia, o especialista do UNODC conheceu a equipe do Corra pro Abraço no Núcleo de Prisão em Flagrantes do Tribunal de Justiça do estado da Bahia. O funcionário da agência da ONU também acompanhou uma audiência de custódia. Em seguida, foi acompanhado pela equipe de Coordenação do programa para a sede do Corra pro Abraço em Itinga, em Lauro de Freitas, onde conversou com jovens da iniciativa.

“Já vi algumas experiências do Brasil e essa é muito diferente. Vocês que vão definir as suas vidas, mas precisam aproveitar oportunidades como essa e espalhar como estão se transformando. Com o que estão aprendendo aqui vocês podem fazer a diferença lá fora”, disse, entusiasmado, aos participantes.

Jéssica Santos, de 23 anos, compartilhou com Cordeiro que antes do Corra pro Abraço não conseguia se expressar bem. “Pensei que não ia ficar porque sou tímida, mas cheguei e recebi um abraço e me senti à vontade. Hoje, já falo e participo muito. Me superei”, contou.

Outras histórias foram compartilhadas durante o dia, como a de Josuel Oliveira, de 53 anos. “Me sentia sem esperança e usava substâncias psicoativas. O Corra foi um divisor de águas em minha vida”, disse o aluno do curso de redução de danos do programa, ainda durante a sessão especial na casa legislativa. Ele voltou a estudar e, atualmente, está no terceiro ano do ensino médio.