Greve dos servidores pode estar no fim

Governo Municipal reabre mesa de negociação permanente com os servidores

Na manhã desta sexta feira, 16, e após os 21 vereadores da Câmara Municipal decidirem que só colocariam o Projeto de Lei de autoria do Governo Municipal com as propostas dos reajustes dos servidores depois que a prefeitura abonasse os 23 dias da greve,  o governo municipal resolveu retomar as negociações com a comissão permanente dos três sindicatos dos servidores municipais, SINSERV, SIMMP E SINDACS.

Durante as reuniões, os representantes do governo foram unânimes em reafirmar o compromisso da atual gestão com os servidores e a preocupação também com comunidade conquistense, que não pode ser prejudicada com deficiência na prestação dos serviços.

Nessa retomada de negociações, a Prefeitura Municipal solicitou que as entidades formulassem oficialmente uma pauta imediata e encaminhassem ao Gabinete Civil para que a mesma seja apreciada e o governo possa dar a posição definitiva.

“As propostas anteriores foram garantidas e deixamos claro que não vamos flexibilizar o cumprimento dos limites impostos pela LRF. O avanço em termos uma mesa permanente para negociar avanços de forma sustentável é significativo, e inaugura um novo tempo de relação entre governo e sindicatos, de transparência e responsabilidade. Isso afunilou a negociação para poucos pontos, que estamos analisando”, afirmou o secretário de Comunicação, André Ferraro.

A comissão de negociação que representa o governo firmou com todas as entidades o compromisso de retomar as reuniões da comissão permanente após os festejos juninos para ajustar outros pontos de pauta. Até a próxima segunda-feira, 19, a comissão deve dar resposta às demandas imediatas apresentadas pelos sindicatos. A reivindicação principal dos servidores, num primeiro momento, é receber os dias em que estiveram parados por conta da greve e que o gestor público disse que não concorda em pagar, cortando o ponto de todos os grevistas.

O SIMMP havia decidido pela suspensão temporária da paralização, que chegou a 23 dias. Está agendada nova reunião da categoria para esta segunda-feira, 19, as 14:30 horas no Salão Dom Vital, ao lado da Catedral, quando serão avaliadas as conquistas advindas do movimento e o calendário da reposição desses dias parados.