Professor Cori denuncia Viação Rosa ao Ministério Público

Irregularidades que estariam sendo cometidas pela empresa

Na sessão desta quarta-feira, 21, o vereador Professor Cori relatou denúncia que protocolou no Ministério Público Estadual e no Ministério Público do Trabalho sobre irregularidades que estariam sendo cometidas pela Viação Rosa. Entre os problemas apontados está a retenção de documentos de funcionários há meses e o não recolhimento de FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). 

A CLT determina que o funcionário seja admitido um dia antes de iniciar as atividades e 48 horas depois a empresa tem que devolver toda a documentação registrada. “Eu puxei o relatório do recolhimento de FGTS e não tem um lançamento. Eu puxei da Previdência e não tem um lançamento”, falou. Para Cori, a Viação Rosa é uma versão piorada da Vitória, que abandonou a cidade. “A gente não pode permitir que a Viação Rosa venha para Conquista dar calote mais uma vez como fez a Viação Vitória”, declarou. Com a denúncia, o vereador espera que os órgãos investiguem a situação e acionem a prefeitura.

Cori frisou que a Viação Rosa tem contrato com a prefeitura de mais de R$ 2 milhões, mas desrespeita a população. Ele afirmou que os contratos atuais evocam um edital de transporte de 2011, mas não obedecem a regras, como a exigência de que as placas dos ônibus sejam de Vitória da Conquista e a de que os veículos devem ter três portas, a Rosa possui apenas duas. Ele ainda criticou representantes da prefeitura que declarou duvidar da veracidade das denúncias veiculadas pela imprensa. Para Cori, o caminho é fazer uma licitação para o transporte público, obedecendo todos os critérios legais.