Grande Premio de Formula 1 marca retorno dos grandes eventos em São Paulo

Retorno dos grandes eventos é parte da retomada econômica no estado de SP

Mote da retomada do turismo
Turismo em São Paulo
Clique na imagem para baixar.

As secretarias de Desenvolvimento Econômico e Turismo e Viagens do Estado de São Paulo vêm organizando, desde julho, uma série de eventos-modelo, cumprindo os protocolos da vigilância sanitária, que incluem testagem prévia e apresentação de comprovantes de vacinação, manutenção do distanciamento obrigatório, uso de máscaras, higienização das mãos com água, sabão e álcool em gel.

Na avaliação geral da pasta de Desenvolvimento Econômico, os resultados dos primeiros testes envolvendo eventos de menor porte,  foram positivos e permitiram a liberação de eventos maiores neste último trimestre de 2021. 

Novembro marca a retomada dos grandes eventos internacionais, com o Grande Premio São Paulo de Formula 1 sendo o ponta pé inicial para mais de 100 eventos já agendados para os próximos noventa dias, segundo a Secretaria de Turismo e Viagens do Estado. A única corrida realizada na América do Sul está agendada para os dias 12, 13 e 14 de novembro, e deve gerar o impacto econômico da ordem de R$ 670 milhões.  Para adquirir ingressos acesse o site clicando aqui.

O complexo turístico Sheraton São Paulo WTC Hotel foi palco do encontro reunindo jornalistas do Norte e Nordeste, quando foi apresentado o plano de ação do setor no estado para o quarto semestre do ano. Foram convidados jornalistas do Alagoas, Bahia, Belém do Pará, Goiás, Mato Grosso, Piauí e Tocantins, e do interior paulista, Ribeirão Preto. O jornalista Toninho da Luz, editor do jornal Diário do Sudoeste da Bahia e da Revista PerfilS/A foi o único representante baiano convidado para o evento, organizado pela Fundação 25 de Janeiro, com as marcas São Paulo Convention & Visitors Bureau, Visite São Paulo, Associação Brasileira das Empresas Aéreas, Gol Linhas Aéreas e parceiras, com apoio institucional da Secretaria de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo.

Participaram do encontro, representando a Secretaria de Estado de Viagens e Turismo de São Paulo, GUILHERME MIRANDA, Secretário-Executivo; FERNANDA CHIAVONE, Diretora de Marketing da Invest-SP; FÁBIO MONTANHEIRO,
Consultor de Gestão Estratégica, Inteligência e Inovação da Invest-SP e LUCIANA VICÁRIA, Assessora de Imprensa. representando a ABEAR – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS AÉREAS, o Diretor de Segurança e Operações RUY AMPARO. Por SÃO PAULO CONVENTION & VISITORS BUREAU – VISITE SÃO PAULO, TONI SANDO seu Presidente Executivo; FÁBIO ZELENSKI, Diretor de Marketing; TACIANE OLIVEIRA, Diretora de Relacionamento e a elogiada assessora LUCIANA CANTO. Representando a GOL LINHAS AÉREAS seu Coordenador Comercial MARCOS OLIVEIRA e
CATIA AIELLO, da Assessoria de Imprensa.

Imprensa: O DIA – TERESINA, com os profissionais RAIMUNDO OTÁVIO RIBEIRO NETO (OTÁVIO NETO), Jornalista e o fotografo JAILSON FERREIRA SOARES. TRIBUNA DO PLANALTO – GOIAS, representado pela jornalista ANDRÉIA BAHIA E SILVA acompanhada pelo marido, LUPÉRCIO JOSÉ BRITO DA SILVA. TRAVEL4ALL – BELÉM PARÁ jornalista JEFFERSON JUNIOR SILVA E CUNHA. REVIDE – RIBEIRÃO PRETO, jornalistas GABRIELA MAULIM FREITAS e VITÓRIA DE CARVALHO FREITAS ROSSI. JORNAL CENTRO-OESTE POPULAR – MATO GROSSO, jornalistas LUCAS LEITE e VALDIR CONSTANTINO DA SILVA. DIÁRIO DO SUDOESTE DA BAHIA – Vitória da Conquista, jornalista ELIAS ANTONIO DA LUZ nosso editor chefe Toninho da Luz, com a filha CLARISSA VIEIRA LUZ SOARES. PRIMEIRA EDIÇÃO – ALAGOAS, jornalistas JOSÉ ROMERO VIEIRA BELO e EVERSON GERONIMO VIEIRA BELO e JORNAL DO TOCANTINS, jornalista PATRICIA ANASTACIA LAURIS SOARES.

Os convidados realizaram uma visita ao Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo do Estado com seu rico acervo de obras de arte que retratam a evolução da vida no estado, sua cultura, sua riqueza e sobretudo sua liderança na América Latina. Também recebeu a visita dos convidados, o recém reinaugurado Museu da Língua Portuguesa, onde estão apresentadas as origens da língua brasileira, as influências das culturas indígenas e escravas, os dialetos e as palavras integradas ao idioma por uso natural da população.

Com evolução do Room Office, São Paulo se prepara para novo perfil de visitante Profissionais que viajam sozinhos, acompanhados ou em família fora do período de férias são tendência no setor.

Toni Sando de Oliveira. Imagem Governo de São Paulo.

Com pandemia da COVID-19, 46% das empresas nacionais adotaram o modelo de trabalho à distância, de acordo com a FIA, Fundação Instituto de Administração, resultando, conforme aponta o IBGE, em cerca de 9 milhões de brasileiros que executaram suas tarefas profissionais em casa durante o ano de 2020. O salto tecnológico para reuniões virtuais, a partir de plataformas como o Zoom, Google Meets e Microsoft Teams, uso de ferramentas digitais de gestão de equipe e utilização de armazenamento de arquivos em nuvem, permitiu que as empresas, mesmo com o fim da pandemia, mantivessem o trabalho remoto com seus times, uma vez que se registra economia em custos de escritório sem impacto direto nas entregas. A crise impactou todos os setores de economia – e com o turismo não foi diferente.

Em São Paulo, os hotéis, desde o início, foram considerados como serviço essencial, possibilitando a manutenção da operação. Mas, com os demais estabelecimentos fechados e pessoas isoladas em suas casas, como obter uma taxa de ocupação que justificasse a abertura? Entre as diversas ações propostas que gerassem uma nova fonte de recurso, surgiu o Room Office, no qual quartos de hotéis passaram a ter a configuração de escritórios, com mesa, telefone e internet de maior qualidade, além de contar com toda a estrutura e serviços reconhecidos da hotelaria. Entretanto, durante o período mais rigoroso da flexibilização em São Paulo, os meios de hospedagem da capital registraram baixos níveis de ocupação, uma vez que o destino tem, por vocação, o turismo de negócios e eventos, esses, em sua grande maioria, suspensos.

Entretanto, com o avanço da vacinação, aprimoramento dos protocolos de saúde, higiene e bem estar, queda no número de casos, internações e óbitos, e abertura gradativa da economia, já se percebe a evolução do Room Office, se unindo a outras tendências, como o Anywhere Office e o Resort Office, dando luz a um novo perfil de viajante: profissionais que se estabeleceram bem no trabalho remoto e que não necessariamente precisam executar suas tarefas de casa. Ou seja, um viajante que busca um hotel para mudança de ambiente do dia a dia, podendo, em suas horas livres, aproveitar sua estadia, piscina, spa, academia e mais, além da gastronomia, agenda cultural, compras e passeios nos arredores. Esse viajante pode explorar sua experiência sozinho, acompanhado ou em família. “Este novo turismo de negócios, pago pela pessoa física que busca um ambiente diferenciado para o trabalho, impacta em como estudávamos o setor, pois suas viagens não são necessariamente de temporada, podendo pulverizá-las por todo ano e durante dias úteis, tendo, assim, um valor diferenciado para as diárias; extensão da estadia por um maior período, incrementando a economia do destino; e aproveitando todas as adaptações que os hotéis executaram no último ano. Este movimento se torna ainda mais relevante frente a um momento em que as reuniões presenciais de negócios e eventos como feiras e congressos ainda não retornaram de forma consistente”, explica Toni Sando, Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), entidade privada, sem fins lucrativos, que atua na captação e apoio a eventos para São Paulo.

Fernando Guinato, Gerente Geral do Sheraton SP WTC, detalha que a hotelaria realizou adaptações que tanto atuam com um novo público de lazer, inédito para São Paulo, quanto para o laboral. “São Paulo é um destino de entretenimento e cultura enorme, mas que acabava se tornando mais conhecido pelos negócios e eventos. Entretanto, essa ‘descoberta’ do turismo de lazer na capital já vinha se desenvolvendo antes da pandemia, mas que foi revelada com mais intensidade com o crescimento das viagens de curta distância ou a necessidade de aproveitar o próprio destino em que reside aos finais de semana. Por outro lado, houve também uma transformação nos serviços oferecidos ao hóspede que precisa cumprir com suas obrigações, entregas e reuniões virtuais durante sua estadia”, conta.

“São Paulo é um destino único. Tanto os moradores quanto viajantes de todo o País que vierem para a capital paulista para trabalhar de forma remota, poderão aproveitar os atrativos e atrações que apenas uma metrópole pode oferecer, com restaurantes renomados com culinário do Brasil e do mundo, retorno dos espetáculos e shows ao vivo, museus, compras em ruas especializadas e shopping center e muito mais”, finaliza Toni Sando.