90 anos do voto feminino: conheça a trajetória das mulheres no Legislativo Conquistense

Texto e fotos: Ascom Câmara


De acordo com a Justiça Eleitoral, mais de 77 milhões de brasileiras devem votar nas eleições deste ano. Atualmente, além de votar, mulheres ocupam funções políticas tanto no Legislativo como no Executivo. Brasil afora, temos mulheres vereadoras, prefeitas, deputadas, governadoras. Mas nem sempre as brasileiras tiveram o direito ao voto. Instituído no Brasil há 90 anos, em 24 de fevereiro de 1932, o voto feminino é considerado um marco fundamental na luta das mulheres por igualdade de direitos.

As mulheres representam 53% do eleitorado brasileiro. Em Vitória da Conquista, elas são 54% do eleitorado. Na Câmara de Vereadores conquistense, as mulheres possuem apenas 9,5% de representação. São apenas duas vereadoras nessa legislatura – Lúcia Rocha (MDB) e Viviane Sampaio (PT). Desde que o voto feminino foi estabelecido, a Câmara de Conquista já teve nove vereadoras: Dona Zaza, Ilza Viana Matos, Helita Figueira, Lúcia Rocha, Irma Lemos, Carmen Lúcia, Lygia Matos, Nil dma Ribeiro e Viviane Sampaio.


Zaza, 1ª vereadora de Conquista – Geny Fernandes de Oliveira Rosa, mais conhecida como Zaza, nasceu em 16 de abril de 1893. Foi a primeira mulher a assumir uma cadeira na Câmara Municipal. Ela era suplente, tendo assumido o cargo em 1936. Seus pais, Dona Janoca e o Coronel Gugé, descendem das principais famílias que conquistaram e povoaram as terras da Imperial Vila da Vitória. A liderança feminina se estendia aos demais setores da vida social da cidade, da política às festividades. Em 1958, contando 65 anos de idade, participou ativamente da campanha de José Pedral, candidato a prefeito. Ajudou ainda a eleger figuras como Gerson Sales, Antonino Pedreira, Jadiel Matos e Raul Ferraz. Dona Zaza faleceu no dia 25 de agosto de 1985.



  • Ilza Viana Matos, 1ª mulher a ocupar a presidência da Câmara – Ilza Viana Matos nasceu no dia 31 de março de 1937, na cidade de Salvador. Mudou-se para a Vitória da Conquista em 1960, onde trabalhou como perita do INSS e professora do Instituto de Educação Euclides Dantas.
  • Foi eleita pela primeira vez em 1972, assumindo a legislatura de 1973 a 1976, na gestão do então prefeito Jadiel Matos. Foi a primeira mulher a ser presidente da Câmara. Política atuante, foi reeleita por mais duas vezes, atuando como parlamentar até 1988.


Helita Figueira, da educação para o legislativo – Natural de Vitória da Conquista, candidatou-se a vereadora pela primeira vez para dar segmento ao trabalho do seu esposo, o vereador Jesiel Norberto da Silva. Foi filiada aos partidos PFL, atual DEM, e PSDB. Disputou três eleições e vendeu uma, exercendo a vereança de 1997 a 2000. Em seu mandato, defendeu temas como justiça tributária e austeridade na administração pública. Helita foi secretária da Faculdade de Formação de Professores que deu origem à Uesb, professora de português e educação moral e cívica no Colégio Batista Conquistense e no Centro Integrado.


Lúcia Rocha, vereadora mais votada em 2020 – Lúcia Rocha é comerciante, nasceu no município de Aquidaba, interior de Sergipe, mas mudou-se para Vitória da Conquista aos 12 anos. Iniciou a militância política em 1986, quando se filiou ao PTB, sendo eleita vereadora pela primeira vez em 1992. Foi reeleita em 1996 e, posteriormente, nas eleições de 2000. Em 2004 foi mais uma vez reeleita, obtendo a maior votação dentre todos os vereadores, o que a conduziu para a presidência da Câmara no biênio 2004 – 2005. Lúcia vem se destacando nas eleições, ocupando o posto de candidata mais votada em vários pleitos.
Sua vida política é marcada pela luta em defesa dos direitos da mulher e da população mais carente, especialmente da Zona Rural. Apresentou diversos projetos de lei e indicações nas áreas de saúde, educação e infraestrutura.


Irma Lemos, de vereadora a 1ª mulher vice-prefeita – Irma Lemos nasceu no distrito de Iguá, em Vitória da Conquista. Sua militância política teve início em 1978, no antigo MDB. Em 1998, filiou-se ao PPB, partido pelo qual foi eleita vereadora em 2000. Nas eleições seguintes, reelegeu-se pelo antigo PFL, hoje DEM. Em 2008 fundou o Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Vitória da Conquista e Região Sudoeste da Bahia. Em 2009 filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), sendo eleita presidente da comissão provisória e posteriormente do Diretório Municipal. Em 2012 disputou mais uma vez uma vaga na Câmara Municipal, sendo eleita.
Em 2016, Irma se lança a um novo desafio – candidata-se a vice-prefeita do município, sendo eleita com o candidato Herzem Gusmão para administrar a cidade. Em 2020, apoia Herzem na reeleição que teve como vice, Sheila Lemos, filha de Irma. Em 2021, com a morte de Herzem em decorrência da Covid-19, Sheila assume a prefeitura. Num momento histórico para a cidade, Irma passa a faixa de prefeita à filha.  


Carmen Lúcia, uma ativista da saúde – Carmen Lúcia nasceu em oito de julho de 1949. Carmen era formada em Enfermagem pela Universidade Católica de Salvador. Em Vitória da Conquista, exerceu as funções de Secretária Municipal de Saúde, Coordenadora Municipal de Saúde e vereadora; foi uma das fundadoras da Policlínica Vida; passou pela direção do Centro de Saúde Régis Pacheco; e foi pioneira ao implantar a primeira Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) do município, estrutura hoje presente, como estabelece a legislação, em empresas e instituições privadas e públicas. Nos anos 1990, elegeu-se suplente de vereador, chegando a assumir o cargo por várias vezes. Por meio de um mandado, garantiu o exercício da vereança por sete meses e, numa outra eleição, ficou novamente na suplência. Familiares e amigos ressaltam ainda sua atuação filantrópica, tendo se destacado ao ajudar inúmeras famílias carentes. Carmen morreu em abril de 1998, aos 48 anos, em decorrência de um câncer, contra o qual lutou por dois anos. Sua contribuição e luta, sobretudo pela saúde pública e de qualidade, são lembradas até hoje, especialmente pelas camadas menos favorecidas.


Lygia Matos – Foi eleita vereadora em 2000 e reeleita em 2004 pelo Partido dos Trabalhadores. Lygia é natural de Nova Canaã e iniciou sua militância na defesa da saúde pública e de qualidade. Ela é enfermeira, especialista em Saúde Pública e Mestre em Saúde Coletiva.
Servidora pública, foi ainda coordenadora do serviço de enfermagem do Hospital Crescêncio Silveira, de Vigilância à Saúde, do Centro DST/AIDS e da Coordenação Municipal de Saúde Mental. Também ocupou um cargo, historicamente exercido por homens e médicos, o de Secretária de Saúde. Lygia elaborou projetos como o do Centro de Referência em DST/AIDS, casas de parto na Zona Rural, os Conselhos Locais de Saúde e o Programa de Agentes Comunitários e ainda representou o Brasil na NASTAD – National Aliance Territorial.
Na Câmara, foi autora de importantes leis, como a que cria “a Câmara Mirim”, a que “obriga a distribuição gratuita de preservativos em motéis e congêneres”, além de propor a criação da Comissão de Defesa da Mulher. Compôs ainda a Mesa Diretora da Casa e as comissões da Casa.


Nildma Ribeiro, primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na Câmara – Nildma foi eleita em 2016, pelo PCdoB, tendo exercido a vereança entre 2017 e 2020. Ela é gestora ambiental e assistente social. Nascida em Itapetinga, filha de agricultores familiares, passou a morar em Vitória da Conquista aos cinco anos. Em 1991, iniciou sua militância no Grêmio Estudantil do Colégio Estadual Eraldo Tinoco. Mais tarde, inseriu-se no movimento sindical, assessorando a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado da Bahia (Fetag-BA).
Na diretoria da União de Mulheres, atuou na defesa dos direitos das mulheres vítimas de violência, contra o machismo e outras formas de opressão, lutando por um maior protagonismo das mulheres na política. Atuou ainda em importantes projetos e programas como: Programa Nossa Sopa de combate à fome e à desnutrição em Conquista; Todas as Letras, Todos pela Alfabetização (TOPA); Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA),  Educação de Jovens e Adultos (EJA) etc. Além de defender as bandeiras: Grito da Terra Brasil e Bahia, Marcha das Margaridas, Marcha das Centrais Sindicais etc.


Viviane Sampaio, de secretária municipal a vereadora reeleita – A paulistana Márcia Viviane de Araújo Sampaio nasceu em 1975. Enfermeira e advogada, Viviane Sampaio já atuou no Executivo Municipal, quando exerceu o cargo de secretária municipal de saúde de Vitória da Conquista. Eleita pela primeira vez em 2016, para exercer o mandato de vereadora pelo PT, se candidatou motivada pela busca do fortalecimento das conquistas alcançadas nos anos de governo do PT no município e pela igualdade de gênero no Legislativo. Ela foi reeleita em 2020.
Entre os seus projetos de mandatos, está a busca por novas conquistas para as áreas da saúde, educação, social e fortalecimento da mulher na sociedade. Na realização de um mandato participativo que reflete a real necessidade da população de Vitória da Conquista, atua de modo aberto debatendo as questões de gênero.