PMVC

Caixa integra quase mil PCD’s e reforça o atendimento nas agências

Com essa integração, a Caixa chega à marca de 5% de seu quadro de funcionários com PcD

A Caixa Econômica Federal realizou a maior convocação de pessoas com deficiência (PcD) de sua história. Os novos convocados foram admitidos por meio de um concurso público, ocorrido no ano passado, inédito e exclusivo para PcD. A cerimônia alusiva à integração aconteceu no Palácio do Planalto, e contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que discursou celebrando o momento.

PMVC

Ao todo, foram convocados 992 empregados para reforçar o atendimento nas agências em todo o país e no setor de tecnologia do banco.

Na cerimônia, um grupo de empregados do PcD recebeu  os crachás funcionais do banco, representando os novos convocados em todas as regiões do Brasil.

O concurso público contou com mais de 40 mil candidatos inscritos ao cargo de técnico bancário novo (nível médio). As provas objetivas foram realizadas em novembro de 2021 e a convocação de 100% dos aprovados ocorreu na segunda quinzena de dezembro.

“As pessoas com deficiência, normalmente, são aquelas que atendem de uma maneira especial porque passaram a vida inteira sendo marginalizadas, muitas vezes”, ressaltou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

A remuneração inicial é de R$ 3 mil, além de benefícios como participação nos lucros, plano de saúde, plano de previdência complementar, auxílio refeição e alimentação, vale transporte e auxílio creche. Há também ações de capacitação e oportunidades para ascensão e desenvolvimento profissional no banco.

Em 2018, a Caixa possuía cerca de 1.300 empregados com deficiência, que representavam apenas 1,5% do efetivo do banco. Agora, com as novas convocações, que representam a maior ação de convocação de pessoas com deficiência já realizada por uma empresa brasileira, o banco público chega a cerca de 4,4 mil PcDs e atinge, pela primeira vez, os 5% de empregados com deficiência previstos na Lei Federal nº 8.213, de 1991.

O Presidente Jair Bolsonaro também destacou outra medida do Governo que foi a renovação da isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para taxistas e pessoas com deficiências, incluindo os surdos. “Pessoas que eram excluídas, trouxemos para dentro da realidade da política brasileira. E como é bom fazer política do bem. Esse dia ímpar para todos nós, inesquecível para a Caixa Econômica Federal, será marcado, com toda a certeza, um dos atos mais grandiosos deste Governo”, concluiu.

Reserva de vagas

A Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência (8.213/91) determina que empresas com 100 empregados ou mais reservem vagas para este segmento, que corresponde a 45 milhões de pessoas no Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Tendo isso em vista, o Governo Federal atua, por meio de ações e programas, como o Prêmio Nacional de Acessibilidade, o Programa Turismo Acessível e outros, para promover inclusão e eliminar as barreiras que impedem a efetivação dos direitos dessa parcela da população.