fbpx

Combate ao mosquito da dengue nos bairros Campinhos e Santa Terezinha

O trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti não para! Nesta semana, as equipes de endemias irão realizar mais dois mutirões de combate em Vitória da Conquista, buscando sensibilizar os moradores para o cuidado diário com suas residências para eliminar os focos do mosquito.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) pede que a população receba bem os agentes em suas casas e colabore com as ações de combate.

Na sexta-feira (10), a partir das 8h, o trabalho será feito no bairro Campinhos, que está posicionado em quarto lugar no último levantamento feito pela SMS, com um alto índice de infestação de 13,7%. Já no sábado (11), o mutirão será no bairro Santa Terezinha que teve uma taxa de infestação de 10,1%, também considerado de alto risco para transmissão das arboviroses.

As residências serão visitadas pelos agentes que farão a inspeção, tratamento focal e, principalmente, o trabalho educativo junto aos moradores, reforçando as informações sobre os cuidados necessários para eliminação dos criadouros dentro de casa, que causam a proliferação do mosquito.

Desde o mês de março, mais de 10 mutirões já foram realizados pelos agentes de combate às endemias na zona urbana e rural do município, além do trabalho rotineiro de visita aos imóveis.

As equipes de pontos estratégicos também estão atuando diariamente com as ações de bloqueio e borrifação em diversas áreas da cidade, onde foram identificados números maiores de notificações e altos índices de infestação.

Além disso, as equipes de limpeza pública da Secretaria Municipal de Serviços Públicos também estão realizando inúmeros mutirões de limpeza, através de uma força-tarefa com cerca de 80 servidores trabalhando simultaneamente em diversos bairros.

Cenário da dengue no município

De acordo com o boletim epidemiológico mais recente sobre a situação das arboviroses em Vitória da Conquista, divulgado nessa segunda (6) pela SMS, já foram registradas 36.765 notificações suspeitas de dengue, zika ou chikungunya no município. Até o momento, a maioria foi para dengue, com 10.678 casos confirmados, além de 67 casos de chikungunya e três de zika.

Mais de 80% dos criadouros do Aedes aegypti são encontrados pelos agentes dentro de casa. Cada morador deve se conscientizar e fazer a sua parte diariamente, fiscalizando os seus espaços e eliminando qualquer acúmulo de água parada em tampinhas de garrafa, pratos de planta, ralos e reservatório de água atrás da geladeira.

É preciso também verificar constantemente a vedação adequada de caixas d’água e reservatórios de água, e fazer o descarte correto do lixo.