fbpx

Paciente da Santa Casa de Itabuna celebra sucesso no tratamento com toque de sino

Imagem acervo pessoal


O badalar do sino é símbolo da superação e alívio para os pacientes que concluem, com sucesso, o tratamento na Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON) da Santa Casa de Itabuna. Por isso, o gesto é um dos momentos mais esperados pelos familiares, amigos e pelas próprias pessoas
acompanhadas no serviço ofertado no maior complexo hospitalar do sul da Bahia.

Dentre os pacientes que tocaram o sino da superação neste semestre está dona Edinailda de Jesus Brito, que foi diagnosticada com câncer de mama e concluiu o tratamento com sucesso. “Quero louvar e agradecer a Deus. E falar para quem está chegando que não desanime, não abaixe a cabeça. Tenha
perseverança e coloque nas mãos de Deus que o fardo fica leve”, ensina.

Imagem acervo pessoal

A paciente iniciou a jornada na oncologia tratando cirurgicamente a mama, seguindo para tratamento adjuvante com quimioterapia e finalizando com a radioterapia. Com apoio familiar desde o momento em que teve o diagnóstico positivo para a doença, Edinailda de Jesus contou com a presença do esposo,
filha e sobrinha no dia que tocou o sino. Ela fez a última sessão de radioterapia na semana passada.

O coordenador de enfermagem do Serviço de Oncologia da Santa Casa de Itabuna, Alexandre Melo, explica que o badalar do sino é um gesto voluntário, mas que quase todos os pacientes que concluem o tratamento contra tumores cancerígenos querem participar. “Eles querem transmitir força, apoio e
esperança para as pessoas que seguem na unidade em tratamento”, afirma.

HUMANIZAÇÃO DO SERVIÇO

O badalar do sino também traz para o serviço a humanização e é um momento de alegria para os pacientes oncológicos e seus familiares, afirma o enfermeiro Alexandre Melo. “O gesto parece simples, mas é carregado de significados não somente para o paciente, mas também para os profissionais que os
acompanham. O badalar do sino é uma vitória para todos envolvidos no tratamento”, ressalta.

O enfermeiro reforça que o badalar do sino foi pensado para que as pessoas que seguem em tratamento nas unidades compreendam ser possível fechar um ciclo e iniciar uma nova fase na vida. “O desafio do serviço oncológico não é somente ofertar o atendimento de qualidade, mas em transmitir uma mensagem positiva de que o tratamento será um sucesso”, reforça Alexandre Melo.

No período de janeiro a maio, 602 pacientes foram tratados e 13.792 atendimentos realizados na Unidade de Radioterapia de Santa Casa de Itabuna.

A instituição também oferece serviço de Quimioterapia, que funciona no Hospital Calixto Midlej Filho. A Radioterapia está instalada no anexo do Hospital Manoel Novaes.

CASOS NO BRASIL

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que 73.610 novos casos de câncer de mama serão registrados neste ano no Brasil.

O tipo de tumor é o mais incidente entre as mulheres. A recomendação dos especialistas é para que sejam adotados hábitos saudáveis e feitos exames regularmente para a detecção precoce e tratamento adequado do tumor.

A chance de sucesso no tratamento é maior quando a doença é descoberta na fase inicial.