PMVC

Cuidado na hora de armazenar os pães

Bactérias e bolor podem surgir nas sobras dos alimentos mal armazenados.

O inverno é a estação fria e ideal para reunir os amigos em casa e apreciar queijos, pães, vinhos e muita conversa boa. Nessa hora é importante ficar atento ao manuseio e conservação dos alimentos.

PMVC

Na hora de servir
Deve-se prestar atenção aos charmosos utensílios de madeira. O material é naturalmente poroso e com o tempo adquire ranhuras provocadas pelo cortes que podem esconder colônias de bactérias que não saem na lavagem usual.

O alimento quando colocado sobre este utensílio, mesmo que aparentemente limpo, poderá ser contaminado.

Na hora de consumir
O simples uso da mesma faca, repetidas vezes por pessoas diferentes, já pode ser visto como não higiênico, uma vez que propicia a transferência de bactérias de uma mão para outra.

A umidade natural e o calor das mãos aliados aos resíduos de alimentos, faz com que os cabos das facas e utensílios se tornem um foco de bactérias. Nesse caso, também vale à pena oferecer facas e cutelos das linhas Ônix e Ultracorte da Tramontina®, com Microban®.

Na hora de armazenar
Sobraram pães e queijos? Se não armazenar corretamente, esses alimentos podem embolorar muito antes do consumo, o que é um desperdício. Freqüentemente se pensa que o bolor só existe quando é possível vê-lo, mas isso é o que ocorre apenas na parte externa do alimento.

O que há por fora pode, também, haver por dentro de uma forma não visível. Então, aquela prática de cortar o pedaço embolorado e consumir o restante, representa na verdade um grande risco.

Além de lavar as mãos antes de manusear os alimentos, utilizar recipientes com proteção antibacteriana contribui positivamente para a durabilidade do alimento, como é o caso dos potes Moduline da Plasútil ® com Microban, muito mais higiênicos que potes plásticos comuns.

O pão caseiro pode ser conservado por aproximadamente 3 dias, colocando num saco plástico e feche hermeticamente, no freezer até 6 meses (este prazo já foi testado e não apresentou problemas). Se o pão for deixado muito tempo fora da geladeira ele mofa e azeda, dentro da geladeira por mais tempo, mofa e fica ressecado. Se deixar mais tempo no freezer perde o sabor.

Mantenha-o em lugar fresco e arejado. Lembrete: é importante que o pão esteja completamente frio.

Todos os itens com proteção antibacteriana não dispensam os procedimentos normais de limpeza, porém tornam a tarefa muito mais fácil. O ingrediente ativo Microban® é incorporado durante o processo de fabricação, dura por toda a vida útil dos utensílios e é aprovado para uso em contato com alimentos. A proteção Microban® é a limpeza invisível, pois cuida daquilo que você não está vendo, mas está lá. Para identificar os produtos com Microban®, o consumidor deve procurar pelo selo que garante a aplicação.

Em locais muito quentes sugiro o uso de anti-mofo na massa, caso queira comercializar o produto. Na proporção de 10g de propianato de cálcio para 1kg de farinha de trigo.

Ou para uma durabilidade ainda maior o produto na forma liquida que é aplicado com spray na hora que é colocado na embalagem, aliás, um dos métodos mais eficazes.

Excesso de fermento na massa pode levar o pão a ficar azedo, pois parte do fermento não se consumiu durante o processo de cocção da massa.

Limpe com álcool de cereais o local onde fará a embalagem do pão. Passe o mesmo na mão antes de manipular.

Para mais informações e outras dicas: http://blog.clubedolar.com.br