fbpx

In-Edit Brasil 2012: Salvador

PMVC

Gilberto Gil com Jorge Mautner, Heitor D´Alincourt e Amir Labak

O IN-EDIT Brasil – Festival Internacional de Documentário Musical apresenta a programação completa de sua 2aedição em Salvador (BA), que acontece de 15 a 21 de junho, na Saladearte Cinema do Museu, com entrada até R$10 (*exceto as sessões das 15h com entrada gratuita).

Com patrocínio da Petrobras, o festival traz uma seleção de mais de 20 documentários musicais, com os principais destaques e os filmes mais aplaudidos na edição paulistana de 2012.

Entre os nacionais estão,  “Noel Rosa – Poeta da Vila e do povo”, de Dácio Malta, “Clementina de Jesus, Rainha Quelé”,de Werinton Kermes , “Jorge Mautner – O Filho do Holocausto”, de Pedro Bial e Heitor D´Alincourt, “Lira Paulistana e a Vanguarda Paulista”, de Riba de Castro, “Vou Rifar Meu Coração”, de Ana Rieper, entre outros.

Já os internacionais, podemos destacar “George Harrison: Living in the Material World”, de Martin Scorsese, “God Bless Ozzy”, de Mike Fleiss e Mike Piscitelli, “The Sacred Triangle – Bowie, Iggy & Lou 1971-1973”, Alec Lindsell “Benda Bilili!”, de Renaud Barret, Florent de la Tullaye, “Next Music Station”, de Ferín Muguruza, “Queen – Days of Your Lives”, de Matt O’Casey, “Kinkdom Como: Ray Davies” e “Ray Davies: Imaginary Man”, ambos de Julian Temple, e muito mais.

A sessão de abertura, que é só para convidados, acontece no dia 14/06, quinta, com a exibição doaclamado “Mama Africa”, que conta a vida da cantora e ativista Miriam Makeba. O filme será apresentado pelo diretor Mika Kaurismäki.

Com Patrocínio da Petrobras, copatrocínio da Riachuelo e apoio da Rede Bahia, IRDEB (TVE Bahia e Rádio Educadora FM), João Americo Sonorização, Stampgraf, o IN-EDIT BRASIL: SALVADOR acontece de 15 a 21 de junho, na Saladearte Cinema do Museu.

O festival IN-EDIT nasceu em Barcelona em 2003 e já possui edições em outras capitais pelo Mundo como Berlim, Santiago, São Paulo e Buenos Aires.

PROGRAMAÇÃO:

14/06, QUINTA-FEIRA (Sessão especial para convidados) – 20h30: MAMA ÁFRICA = Sessão apresentada pelo diretor Mika Kaurismäki.

Miriam Makeba foi a voz de seu povo. Uma mulher forte, politizada e extremamente talentosa que ficou conhecida como a “mãe da África” por sua atitude de combate ao apartheid. Ícone da luta contra a política racista de seu país, acabou marginalizada durante mais de 30 anos. Ao longo desse período fez shows, discursos e deu entrevistas mundo afora denunciando a injustiças sociais da África do Sul. Entretanto, foi cantando que Miriam Makeba se realizou. Apoiando-se no sucesso mundial de “Pata Pata” (de que confessa não gostar), a cantora sul-africana mesclou música tradicional, jazz e soul e encantou multidões. Sob o olhar de Mika Kaurismäki, é lembrada como cantora e ativista, mas também como mãe, esposa e amiga.

Direção: Mika Kaurismäki – País: Finlândia/Alemanha/África do Sul – Ano: 2011 – Duração: 89’ – Protagonistas: Zenzille Monique Lee, Nelson Lumumba Lee, Hugh Ramopolo, Masekela, Angélique Kidjo, Abigail Kubeka, Dorothy Masuku, Joe Mogotsi, Leopoldo Fleming e William “Bill” Salter, Kathleen Neal Cleaver. Idioma original: inglês, francês. Formato: DVCam. Produção: Mika Kaurismäki, Don Edkins, Rainer Kölmel, Hans Robert Eisenhauer. Companhia produtora: Starhaus Filproduktion, Millenium Films, Marianna Films, ZDFKultur. Festivais: Berlinale, Festival do Rio.

 15/06, SEXTA-FEIRA – 15h: O QUE SOU NUNCA ESCONDI – Geraldo Vandré é um dos nomes mais enigmáticos da MPB. Não aparece em público, não dá entrevistas, não fala com ninguém, mas deixou seu nome marcado na história da música brasileira. Autor de canções emblemáticas como “Disparada” e “Pra não dizer que não falei das flores” (canção símbolo do movimento contra a ditadura militar instaurada no Brasil em 1964), Vandré deixou a música e foi trabalhar como advogado. Perseguido pela equipe deste documentário, tem sua história contada por amigos e parentes. Direção: Alexandre Napoli e Helena Wolfenson. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 54’. Protagonistas: Geraldo Vandré, Hermeto Pascoal, Jair Rodrigues, Julio Medaglia, Zuza Homem de Mello, Nilce Tranjan, Heraldo do Monte, Victor Nuzzi, Assis Ângelo e outros. Idioma original: português. Formato: Blu-Ray. Produção: William Bagioli. Produção executiva: Bob Wolfenson, Luiz Henrique Ferreira Biagioli, Nelson Napoli. Companhia produtora: William Biagioli Filmes

17h: LÍNGUA MÃE – Naná Vasconcelos, um dos maiores músicos do Brasil e mais atuantes fora do país, sonhava reunir um grupo de crianças e fazer música com elas em sua língua materna: o português. Atravessou três continentes para encontrá-las e dessa viagem nasceu Língua Mãe, projeto musical realizado em parceria com o maestro Gil Jardim. Acento português, música popular aprendida na escola. Sotaque angolano, música vivida nas ruas. Gíria brasileira e gosto pela música no tempo livre entre casa, rua e escola. Isso é o que Naná leva ao palco como resultado da aventura aqui documentada. O filme aproxima o espectador das realidades diversas e contrastantes dessas crianças e da experiência musical vivida nos encontros. Direção: Fernando Weller e Leo Falcão. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 81’. Protagonistas: Naná Vasconcelos, Gil Jardim, crianças. Idioma original: português. Formato: DVCam. Direção de Produção: Marinho Andrade. Produção executiva: Alexandre Nogueira da Cruz. Companhia produtora: D7 Filmes. Festivais: FIC Luanda. Site:www.linguamae.com

19h: BENDA BILILI! – Benda Bilili é um grupo de músicos sem-teto, deficientes físicos (vítimas de poliomielite), que se locomovem em cadeiras de rodas improvisadas e moram nas ruas de Kinshasa, Congo. Um grupo de pessoas que se reuniram para poder sobreviver e acabaram descobrindo que juntos tinham muito swing. Utilizando latas, garrafas, violões (às vezes de uma corda só) e todo tipo de lixo tocam e improvisam com muito groove. Na calada da noite, encontram uma criança que inventou seu próprio instrumento e acaba se convertendo na estrela da banda. Direção: Renaud Barret, Florent de la Tullaye. País: Congo/França. Ano: 2010. Duração: 85’. Protagonistas: Roger Landu, Coco Ngambali, Leon Likabu, Montana, Theo Nsituvuidi, Randi. Idioma original: lingala, francês. Formato: 35 mm. Produção: Yves Chanvillard, Nadim Cheikhrouha, La Belle Kinoise, Florent de la Tullaye, Renaud Barret. Festivais: Festival de Cine y Derechos Humanos de Sant Sebastian, La Quinzaine des Réalisateurs Cannes, Doha Tribeca Film Festival. Site:www.bendabilili.co.uk

21h: MAMA ÁFRICA

16/06, SÁBADO

15h: LIRA PAULISTANA E A VANGUARDA PAULISTA – Destaque da programação nacional, o filme LIRA PAULISTANA E A VANGUARDA PAULISTA conta a história da mítica casa Lira Paulistana, espaço catalisador das novas tendências musicais na cidade de São Paulo, no período que vai de 1979 a 1986.

Foi no número 1091 da Rua Teodoro Sampaio que Itamar Assumpção, Grupo Rumo, Premeditando o Breque, Titãs, Cólera, Inocentes e uma infinidade de nomes apareceram na cena musical paulistana. Mas era ali em frente, na Praça Benedito Calixto, que “o Lira” funcionava como selo discográfico, editora, promotor de shows e facilitador de encontros.

O diretor Riba de Castro, produtor da casa, realiza aqui um documento completo que resgata os principais momentos dessa história, servindo de registro e inspiração para as novas gerações. Direção: Riba de Castro. País: Brasil. Ano: 2012. Duração: 97’. Protagonistas: Arrigo Barnabé, Luiz Tatit, Lanny Gordin, Marcelo Tas, Maurício Kubrusly, Ná Ozetti, Paulo Tatit, Nelson Ayres, Fernando Meirelles, Paulo Caruso, Laerte Sarrumor, Tetê Espíndola, Wandi Doratiotto, Eduardo Gudin, Roger (Ultraje a Rigor), entre outros. Idioma original: português. Formato: DVCam. Produção executiva: Mabel Monfil. Companhia produtora: Pirata Creative. Coprodução: Busca Vida Filmes

17h: VOU RIFAR MEU CORAÇÃO

A vida de quem faz e quem ouve Música Romântica no Brasil. Ou será Música Brega?

Odair José, Amado Baptista, Lindomar Castilho, Nelson Ned, Wando, e muitos outros, são ídolos dentro deste universo e fazem música para os personagens reais deste documentário. Para esses músicos, o amor não vê cor, classe, opção sexual nem diploma universitário. Milhares de brasileiros amam e choram desamores ouvindo suas canções em botecos, inferninhos e quartos escuros de todo o país. O filme capta histórias de amor reais na intimidade de seus protagonistas, derruba estereótipos sobre traição, homossexualismo, prostituição e trata o Brega como expressão do imaginário popular brasileiro.

Direção: Ana Rieper. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 78’. Protagonistas: Agnaldo Timóteo, Amado Batista, Lindomar Castilho, Wando, Nelson Ned e outros. Idioma original: português. Formato: Digital. Produção executiva: Suzana Amado. Companhia produtora: Amado Arte&Produção. Festivais: Mostra Internacional de São Paulo, Indie Lisboa, Cine de las Américas, Curta Circuito, Atlantic Doc, FestiCine Goiânia, Festival de Vitória, Festival de Brasília. Site:www.vourifarmeucoracao.com

19h: GEORGE HARRISON: LIVING IN THE MATERIAL WORLD – Martin Scorsese volta às telas com outro grande documentário musical. Agora é a vez de George Harrison. Utilizando material de arquivo, em parte inédito, e entrevistas recentes, Scorsese conta sem pressa a intimidade de George, homem caseiro, cuidadoso e extremamente musical.

Em dois blocos de 90 minutos, este documentário traz um retrato detalhado do músico e também de seu ambiente familiar, profissional, político, social e espiritual. Indispensável. Direção: Martin Scorsese. País: EUA. Ano: 2011. Duração: 208’. Protagonistas: George Harrison, Eric Clapton, George Martin, Olivia Harrison, Paul McCartney, Phil Spector, Yoko Ono. Idioma original: inglês. Produção: Olivia Harrison, Nigel Sinclair, Martin Scorsese. Produção executiva: Margaret Bodde. Companhia produtora: Sikelia Productions, Spitfire Pictures, Grove Street Pictures. Festivais: Festival Internacional de Sant Sebastian, Festival do Rio

17/06, DOMINGO

15h: SIBA – NOS BALÉS DA TORMENTA – Nos anos 90 Siba foi um dos criadores da banda Mestre Ambrósio mesclando referências urbanas e manifestações da tradição popular brasileira. Em 2002, trocou São Paulo por Nazaré da Mata, no interior pernambucano, para ficar mais perto de seu mestre Biu Roque e de seus parceiros de maracatu e ciranda, com quem dançou noites adentro e criou a Fuloresta.

Siba – nos balés da tormenta faz a viagem de volta do músico pernambucano da zona da mata à cidade que resultou no seu terceiro disco solo, “Avante”, produzido por Fernando Catatau. Direção: Caio Jobim e Pablo Francischelli. País: Brasil. Ano: 2012. Duração: 85’. Protagonistas: Siba, Fernando Catatau, Mestre Barachinha. Idioma original: português. Formato: Blu-Ray. Produção: Caio Jobim e Pablo Francischelli. Companhia produtora: DobleChapa Cinematografia. Site:http://www.mundosiba.com.br/documentario. Festivais: Première no In-Edit Brasil 2012.

17h: RAY DAVIES: IMAGINARY MAN – A cara mais visível e líder da banda The Kinks, Ray Davies conversa com Julien Temple durante um passeio pelo bairro, neste documentário feito em paralelo com Kinkdom come: Dave Davies. Passam por sua escola e casa, falando da vida pessoal e obra artística.

Personagem extremamente inteligente, Ray encanta pela conversa e talento musical, revelando-se um artista completo e muito consciente de seu lugar na música: “ando pelas ruas e ninguém me reconhece”. Direção: Julien Temple. País: Inglaterra. Ano: 2010. Duração: 78’. Protagonistas: Ray Davies. Idioma original: inglês. Formato: DVCam. Produção: Stephen Malit, Julien Temple. Produção executiva: David Okuefuna. Companhia produtora: Nitrate Films

19h: THE SACRED TRIANGLE – BOWIE, IGGY & LOU 1971-1973 – Nos início dos anos 70, David Bowie, Iggy Pop e Lou Reed tinham uma estreita relação. Entre viagens, gravações e parcerias os três se influenciaram mutuamente em seus respectivos trabalhos. Era o tempo de “Ziggy Stardust”, “Transformer” e “Raw Power”, pontos culminantes nas carreiras de todos eles. Neste documentário, amigos, familiares e colaboradores contam os bastidores desta amizade e revelam personalidades surpreendentes. Direção: Alec Lindsell. País: Inglaterra. Ano: 2010. Duração: 107’. Protagonistas: Angie Bowie, Billy Name, Lee Black Childers. Idioma original: inglês. Formato: DVCam. Companhia produtora: Chrome Dreams Media Ltda, Prism Films

21h: QUEEN: DAYS OF OUR LIVES – Se há um grupo na história do rock que dominou os estádios foi o Queen. Neste aplaudido documentário, o diretor Matt O’Casey divide a história da banda em dois atos para contar como Brian May, Freddie Mercury, Roger Taylor e John Deacon revolucionaram a música e a indústria do espetáculo no início dos anos 70. Tratando dos momentos de glória, mas também de fracasso, o filme conta de forma linear os acontecimentos que marcaram a vida do grupo e as lendas que envolvem suas festas. Um documentário importante como a própria banda e que merece ser visto em tela grande. As imagens no estádio do Morumbi em 1981 e no Rock in Rio, em 1985, ganham aqui um significado especial.

Direção: Matt O’Casey. País: Inglaterra. Ano: 2011. Duração: 110’. Protagonistas: Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor, John Deacon. Idioma original: inglês. Formato: Blu-Ray. Produção: Simon Lupton, Rhys Thomas. Produção executiva: Iain Funnell. Companhia produtora: Globe Productions. Festivais: Sheffield Internacional Documentary Festival

18/06, SEGUNDA-FEIRA

15h: ARGUS MONTENEGRO E A INSTABILIDADE DO TEMPO FORTE – Argus Montenegro é um desses gigantes à sombra. Tocou com todos os grandes nomes da música brasileira. Hoje, impossibilitado de fazer música por causa de uma doença, senta-se à bateria para contar sua história e lê, orgulhoso, a lista de músicos que acompanhou. Nessa conversa, Argus fala de música, mercado musical, de suas aventuras e da impossibilidade de voltar aos palcos. Direção: Pedro Isaías Lucas. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 75’. Protagonistas: Argus Montenegro. Idioma original: português. Formato: DVCam. Produção: Paula Gastaud. Produção executiva: Aletéia Selonk. Companhia produtora: Okna Produções e Artéria Filmes

17h: BLAZE FOLEY: DUCT TAPE MESSIAH + STEVE REICH: PHASE TO FACE – (SESSÃO DUPLA)

BLAZE FOLEY: DUCT TAPE MESSIAH – Blaze Foley não foi um cara de sorte. Morreu pobre, desconhecido e jovem. E para piorar, só descobriram seu talento depois de morto. Entre tantas desavenças, Foley teve uma vida como a de muitos outros músicos que tentaram a sorte: caiu na estrada, se afogou na bebida, viveu fora de casa e foi pivô de muitos mal-entendidos. Aplaudido em grandes festivais internacionais, este documentário faz reluzir o que está na sombra, contando a história de um homem comum com grande sensibilidade e inteligência.

Direção: Kevin Triplett. País: EUA. Ano: 2011. Duração: 60’. Protagonistas: Blaze Foley, Merle Hagaard, Gurf Marlix. Idioma original: inglês. Formato: HDV. Produção: Marcus Ligocki. Produção executiva: Sound design. Companhia produtora: Abraxas Productions, LLC. Festivais: IDFA, SXSW, Memphis Internacional Film Festival, Chicago Internacional Movie and Music Festival, NXNE. Site:www.blazefoleymovie.com

STEVE REICH: PHASE TO FACE – Steve Reich é conhecido como um dos pioneiros do minimalismo. Este norte-americano com cara de professor de matemática tem uma concepção musical única. Obcecado por repetições e variações, Reich cria peças musicais, instalações, trilhas e experimenta constantemente.

Uma oportunidade única para ver os loops de “It’s gonna rain” (sampleando em 1965), “Pendulum music” (1968), “Drumming” (1971),“Clapping music” (1972), e sua fase mais recente utilizando tambores primitivos para chegar ao delírio da repetição.

Um documentário de 52 minutos para ser digerido durante meses. Direção: Eric Darmon, Franck Mallet. País: Alemanha. Ano: 2009. Duração: 52’. Protagonistas: Steve Reich, Ars Ludi, the Ready-Made Emsemble, Coro Ha-Kol, Quartetto Prometeo. Idioma original: inglês. Formato: DVD. Produção: Eric Darmon, Lise Lemeunier. Companhia produtora: Mémoire Magnétique Productions and ARTE France. Festivais: Cheltenham Festivals, Cork Opera House Screenings

19h: NOEL ROSA POETA DA VILA E DO POVO – Um filme para fã de Noel Rosa nenhum botar defeito. Partindo de um vasto arquivo de som e imagens, este documentário conta a vida e obra do compositor carioca. Noel morreu em sua casa no bairro de Vila Isabel, no ano de 1937, aos 26 anos de idade. Sua passagem pela história da música brasileira na figura do jovem, brilhante compositor e personagem da noite marcou nossa identidade musical. Ao longo de duas horas conhecemos em detalhe a vida do poeta, aqui narrada por Martinho da Vila. Enquanto isso, músicos como João Bosco, Caetano Veloso, Zeca Pagodinho, Aracy de Almeida, Monarco e Paulinho da Viola relembram suas músicas.

Direção: Dácio Malta. País: Brasil. Ano: 2010. Duração: 120’. Idioma original: português. Formato: DVCam. Produção executiva: Roberto Faissal. Companhia produtora: TV Brasil/Cinemar. Festivais: Festival de Cinema Brasileiro Paris, Festival de Cinema Maringá, Festival de Cinema Brasil-Japão, Cine Música Conservatória, Cine Documenta Ipatinga

21h: TROUBADOURS – Celebrando a superação dos agitados anos 60, o bar Troubadours tornou-se o ponto de encontro da geração de singers-songwritersliderados por James Taylor, Carole King e Jackson Browne, que se espalhou pelo mundo com seu folk rock, nos anos 70.

As canções desses jovens californianos, após anos de guerras e protestos, falavam de prazeres individuais, amor e amizade. O diretor Morgan Neville nos leva a esse mundo pacificado, marcado por uma enorme coleção de hits e amizades duradouras. Responsável por grandes documentários musicais como “Sun Records” e Respect Yourself: Stax Records”, o cineasta já obteve três nominações ao Grammy. Direção: Morgan Neville. País: EUA. Ano: 2011. Duração: 92’. Protagonistas: James Taylor, Carole King, Elton John, Steve Martin, David Crosby, Lou Adler, Peter Asher, Jackson Browne, Bonnie Raitt. Idioma original: inglês. Formato: HDV. Produção: Eddie Schimdt. Produção executiva: Sam Feldman, Michael Gorfaine, Lorna Guess. Festivais: Sundance Film Festival, Santa Barbara Film Festival, Thin Line Film Festival, Festival do Rio. Site:www.thetroubadoursmovie.com

19/06, TERÇA-FEIRA

15h: CLEMENTINA DE JESUS, RAINHA QUELÉ – Clementina de Jesus, a Rainha Quelé, é um dos nomes mais celebrados da música popular brasileira. Dona de voz inconfundível, gravou ao longo de sua carreira 9 LPs, 3 compactos e fez participações em discos de inúmeros artistas. Em julho de 1987, faleceu no Rio de Janeiro aos 85 anos de idade, deixando um imenso vazio na música popular afro-brasileira. Este documentário conta sua história a partir de uma rica pesquisa de imagens.

Direção: Werinton Kermes. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 56’. Protagonistas: Clementina de Jesus. Idioma original: português. Formato: DVD. Produção: Werinton Hermes. Companhia produtora: Provocare Editora e Comunicação Ltda MED. Festivais: MIMO, Jornada Internacional de Cinema da Bahia, Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Fest Cine Amazônia, Cinema Fora da Tela.

17h: NEXT MUSIC STATION: MARROCOS – A cantora marroquina Oum conduz Fermín Muguruza por seu país através de cidades, estilos musicais e suas raízes. Na mochila vão as raízes do flamenco, o gnawa e a mistura de sua cultura ancestral com as músicas que vem do Ocidente.

Direção: Fermín Muguruza. País: Catar/Espanha. Ano: 2011. Duração: 100’. Idioma original: árabe. Formato: DVD. Produção: Natalia De Ancos. Produção executiva: Jone Unanua. Companhia produtora: Talka Records & Films, Al Jazeera. Festivais: DocsDF. Site:www.nextmusicstation.com

19h: BOB AND THE MONSTER – No final dos anos 80, Bob Forrest era um doidão de carteirinha. Vocalista da banda californiana Thelonious Monster, dividia palco com Red Hot Chili Peppers, Jane’s Addiction, Gun’n’Roses e montava grandes escândalos. Um dia uma overdose o deixou fora de jogo e o músico iniciou uma luta dura para deixar o vício. Hoje, saudável e sequelado, Bob ajuda estrelas do rock a se livrarem das drogas. Ninguém melhor que ele, conhecedor de todos os métodos, para acompanhar os casos. Steve Aldler (Guns’n’Roses) e John Frusciante (Red Hot Chili Peppers) são alguns dos seus pacientes.

Direção: Keirda Bahruth. País: EUA. Ano: 2011. Duração: 86’. Protagonistas: David Adelson, Steven Adler, Eric Avery. Idioma original: inglês. Formato: Blu-Ray. Produção: Rick Ballard. Produção executiva: John Batisek. Companhia produtora: Shaker Films. Festivais: SXSW, Hot Docs, Sheffield Internacional Film Festival, Gold Coast Internacional, Silverdocs, CIMMFest. Site: www.bobandthemonster.com

21h: CURE FOR PAIN – THE MARK SANDMAN STORY – Mark Sandman morreu como viveu: surpreendendo. Seja com sua primeira banda Traet Her Right e depois com o Morphine, deixou claro que não é necessário seguir regras para se fazer música de qualidade. Quando apareceu no início dos anos 90 com uma formação sem guitarra, com bateria, saxofone e seu baixo de duas cordas tocado com slide, o músico rompeu todos os esquemas da autoalimentada cena roqueira e foi apontado como um messias. Ben Harper, Queen of Stone Age, John Medeski estão entre os convidados deste filme a falar de sua genialidade.

Direção: David Ferino, Robert Bralver. País: EUA. Ano: 2011. Duração: 86’. Protagonistas: Chris Ballew, Dicky Barrett, Les Claypool. Idioma original: inglês. Formato: HDV. Produção: Gatling Pictures. Festivais: IDFA, Canada International Music Convention and Film Festival, Independent Film Festival of Boston, Full Frame Documentary Film Festival, DOC NY Festival, Leeds International Film Festival, Tallgrass Film Festival

20/06, QUARTA-FEIRA

15h: NEXT MUSIC STATION: IÊMEN + SUDÃO – (SESSÃO DUPLA) IÊMEN – Entre o Mar Vermelho e o Arábico, o Iêmen se destaca por ser um dos polos musicais emblemáticos do mundo árabe. A combinação entre melodias e instrumentos tradicionais e o rap, a música eletrônica e os usos periféricos de tecnologia criaram uma cena musical única.


Direção: Fermín Muguruza – País: Catar/Espanha. Ano: 2011. Duração: 52’. Idioma original: árabe. Formato: DVD. Produção: Natalia De Ancos. Produção executiva: Jone Unanua. Companhia produtora: Talka Records & Films, Al Jazeera. Festivais: DocsDF. Site:www.nextmusicstation.com

 SUDÃO – Sudão e sua particular encruzilhada cultural e religiosa apresentadas pela jornalista Nadeen Allauddin.
Um passeio entre as músicas das tribos nômades, a canção tradicional, a música sufi, o reggae, o jazz e rap.
 Direção: Fermín Muguruza. País: Espanha. Ano: 2011 . Duração: 52’. Idioma original: árabe. Formato: DVD. Produção: Natalia De Ancos. Produção executiva: Jone Unanua. Companhia produtora: Talka Records & Films, Al Jazeera. Festivais: DocsDF. Site:www.nextmusicstation.com

17h: NEXT MUSIC STATION: LÍBANO – Déborah Phares, designer e fotógrafa, nos guia pelas ruas de Beirute, uma cidade onde a geopolítica, a mistura de culturas e a nova geração converteram seus bairros em um caldeirão de novas músicas, fundindo rap, eletrônica, indie rock, música experimental e tradicional.

Direção: Fermín Muguruza. País: Catar/Espanha. Ano: 2011. Duração: 100’. Idioma original: árabe. Formato: DIGIBETA. Produção: Natalia De Ancos. Produção executiva: Jone Unanua. Companhia produtora: Talka Records & Films, Al Jazeera. Festivais: DocsDF. Site:www.nextmusicstation.com

19h: AS CANÇÕES DO EXÍLIO: A LABAREDA QUE LAMBEU TUDO – Um trabalho árduo de pesquisa resultou neste documentário sobre as canções compostas no exílio por Caetano Veloso e Gilberto Gil. O diretor acaba compartilhando esse processo, suas ideias e decisões com o espectador. O resultado é um filme criativo, que conta de forma inusitada um dos períodos mais controvertidos da carreira dos dois artistas. Direção: Geneton Moraes Neto. País: Brasil. Ano: 2010. Duração: 90’. Protagonistas: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jorge Mautner, Jards Macalé. Idioma original: português. Formato: DVCam. Produção: Jorge Mansur. Companhia produtora: Cinevídeo. Festivais: Arquivo do Estado de São Paulo, MIMO, Cine Fest Petrobrás Brasil NY

21h: KINKDOM COME: DAVE DAVIES Dave e Ray Davies são irmãos e não se falam há anos. Para contar sua história, Julien Temple precisou fazer dois filmes: um para cada rock star.

Combinando arquivo familiar, entrevistas atuais, filmes clássicos e trilha sonora original, o diretor faz uma análise da rebeldia própria dos jovens ingleses dos anos 60. Dave, louco por moda e frequentador assíduo de festas, fala constantemente de seu irmão e revela detalhes da história familiar e do começo dos Kinks. Isso sem contar a famosa lenda do amplificador retalhado para gravar “Really got me”. Direção: Julien Temple. País: Inglaterra. Ano: 2011. Duração: 77’. Protagonistas: Dave Davies. Idioma original: inglês. Formato: DVCam. Produção: Stephen Malit, Julien Temple. Produção executiva: Alan Yentob. Companhia produtora: Nitrate Films.

 21/06, QUINTA-FEIRA

15h: NELSON SARGENTO – MEMÓRIA DO SAMBA – Nelson Sargento, um dos poetas mais aclamados da Mangueira tem sua obra repassada em detalhes. Sentado com Sérgio Cabral para um papo de botequim, o sambista conta sua história, fala da carreira, vida pessoal e canta seus sucessos, acompanhado por um grupo de primeira linha. O filme mergulha no universo do samba através de um de seus personagens consagrados.

Direção: Flávio Cândido e João Carlos Carino. País: Brasil. Ano: 2012. Duração: 74’. Protagonistas: Nelson Sargento, Sergio Cabral, Clara Nunes. Idioma original: português. Formato: DVCam. Produção: Daniel Damasceno e Luiz Carlos Araújo. Companhia produtora: Oficina do Parque

 17h: TAMBORES – Feito a partir de técnicas muito distintas e utilizado em diferentes culturas para as mais diversas finalidades, o tambor é provavelmente o instrumento mais popular do planeta. Para retratar a relação entre os diferentes universos culturais e seus tambores, o diretor Sérgio Raposo viajou a Moçambique, Zâmbia, China, Catar, Brasil e Portugal para falar de música, religião, cultura, tradição e modernidade. Um trabalho minucioso de pesquisa que nos aproxima de nossos sentimentos mais primitivos.

Direção: Sérgio Raposo. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 71’. Formato: DVCam. Produção executiva: Mônica Monteiro. Companhia produtora: Cinevideo Produções. Festivais: Festival de Cinema de Maputo, Festival do Rio, Dockanema

 

Jorge Mautner, Amora Mautner e Heitor D´Alincourt

19h: JORGE MAUTNER – O FILHO DO HOLOCAUSTO – Jorge Mautner é filho de pais vienenses refugiados da guerra. Publicou seu primeiro livro aos 15 anos, aprendeu a tocar violino com seu padrasto, também europeu, e teve o primeiro contato com o candomblé através de sua babá carioca. Criado em um ambiente multicultural, transformou-se em um dos artistas mais versáteis da música brasileira. Reunidos em um estúdio, amigos, familiares e os parceiros musicais Gilberto Gil, Caetano Veloso e Nelson Jacobina falam de sua personalidade e obra plural. Nessa mesma atmosfera íntima, o músico e escritor, acompanhado de sua banda, canta, toca e lê trechos de sua autobiografia.

Direção: Pedro Bial e Heitor D´Alincourt. País: Brasil. Ano: 2011. Duração: 93’. Protagonistas: Jorge Mautner. Idioma original: português. Formato: Digital. Produção: Luciana Araújo. Produção executiva: Tereza Alvarez. Companhia produtora: Canal Brasil. Festivais: É tudo verdade, Cine PE

 21h: GOD BLESS OZZY OSBOURNE – Ozzy Osbourne é um ícone de loucura. A relação doentia com as drogas marcou toda a sua vida e comportamento e o transformou em um estereótipo. Hoje agradece o fato de estar longe de qualquer substância nociva à sua saúde, mas para chegar até aqui a estrada foi longa.

Este documentário conta sem censuras sua trajetória, do início no Black Sabbath à carreira solo. Artistas tão distantes de seu universo, como Paul McCartney, comparecem para reconhecer a importância de seu legado. Direção: Mike Fleiss e Mike Piscitelli. País: Irlanda. Ano: 2011. Duração: 91’. Protagonistas: Ozzy Osbourne, Sharon Osbourne, Sir Paul McCartney, Tommy Lee, Kelly Osbourne, Bill Ward, Tony Iommi, Geezer Butler. Idioma original: inglês. Formato: Blu-Ray. Produção: Jack Osbourne, Marc Weingarten, Jordan Tappis. Produção executiva: Sharon Osbourne. Companhia produtora: Next Entertainment, Schweet Entertainment. Festivais: Tribeca Film Festival, Hamburgo Film Festival, Buenos Aires Film Festival, Dubai International Film Festival

SERVIÇO:

IN EDIT BRASIL 2012 – EDIÇÃO SALVADOR – * Sessão de abertura no dia 14/06 somente para convidados . de 15 A 21 DE JUNHO, na Saladearte – Cinema do Museu. Av. Sete de Setembro, 2.195 – Museu Geológico. (71) 3338 2241. Capacidade: 125 lugares. Ingressos: R$ 10 (inteira) E R$ 5 (MEIA) – *todas as sessões das 15h com entrada gratuita

Mais Informações: ATTi Comunicação – Valéria Blanco e Eliz Ferreira // (11) 3729-1455 / 3729-1456 / (11) 9105-0441