fbpx

Ministério Público lança Campanha contra Violência Sexual

PMVC

Campanha de Combate à Violência Sexual Infantojuvenil é lançada pelo Ministério Público

“A marca da violência sexual fica na alma. Os adolescentes que passam por isso terão a vida marcada para sempre. Não tem como ser um adulto plenamente saudável após passar pelo trauma”, declarou a procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado, registrando que “precisamos ter adultos mais saudáveis e uma sociedade mais equilibrada e melhor constituída”. A afirmação foi destacada na manhã de hoje (5) durante o lançamento da “Campanha de Combate à Violência Sexual contra Criança e Adolescente” do Ministério Público estadual, que conta com a participação da cantora Ivete Sangalo. Com o objetivo de sensibilizar a sociedade diante da gravidade da situação vivenciada por diversas crianças e adolescentes, a campanha destaca como cada cidadão pode denunciar e ser a voz do público infantojuvenil. “Ela (Ivete) é a voz de milhões. Você só precisa ser a voz de uma criança. Denuncie a violência sexual contra a criança e o adolescente. Disque 100” é o mote da campanha que também será divulgada em escolas públicas da cidade.

Ao agradecer a cantora Ivete Sangalo pela parceria ao emprestar a sua voz e sua imagem de forma voluntária, a PGJ ressaltou a importância da denúncia e convocou a todos para combater esse tipo de crime cometido, em sua maioria, dentro dos próprios lares onde a criança deveria estar protegida. “É um crime que choca a todos nós, que dói em cada um de nós. E saber que a maior parte continua sendo praticada dentro do seio familiar é algo que choca ainda mais, porque sempre supomos que o ambiente familiar é um lugar de amor, de carinho, de acolhimento, de afeto”, disse ela ao convidar a todos para dar voz a esta campanha, a fim de que a sociedade também tenha voz e denuncie.

Durante o evento, as peças publicitárias, que serão veiculadas até o final de agosto em televisão, rádio, internet, outdoors e redes sociais, foram apresentadas pela coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Criança e do Adolescente (Caoca), procuradora de Justiça Márcia Guedes, que alertou sobre a necessidade de combater o crime, reduzir os índices estatísticos e contribuir para a responsabilização criminal do agressor. “A importância de denunciar é premente porque quem não denuncia também violenta. A própria campanha traz esse conteúdo e usar a voz como se fosse a voz de uma criança é fundamental. A violência sexual infantil é uma das piores violações de direitos humanos, atenta contra a dignidade profundamente, deixando marcas para o resto da vida”.

De acordo com Guedes, o estado da Bahia é o terceiro lugar em índices de denúncia, perdendo apenas para São Paulo e Minas Gerais. Na Bahia, só este ano, cerca de 800 crianças e adolescentes foram vítimas de violência sexual, considerando o número de denúncias registradas por meio do Disque 100, do Ministério da Justiça. Deste total, 576 foram alvo de abuso e 145 de exploração sexual. Com a campanha, atualmente em sua sétima edição, o MP pretende combater este tipo de abuso e reduzir as estatísticas de violência.

Durante o lançamento, estiveram presentes o chefe de gabinete da PGJ, promotor de Justiça Luís Claudio Nogueira; o coordenador de Gestão Estratégica, promotor de Justiça Marcelo Guedes; o coordenador do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), promotor de Justiça Adalvo Dourador; a coordenadora do Centro de Apoio às Promotorias de Meio Ambiente e Urbanismo (Ceama) , promotora de Justiça Cristina Seixas Graça; coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal (Caocrim), promotor de Justiça Pedro Maia; os promotores de Justiça Adilson Oliveira, Lívia Farias e Nidalva Oliveira, além do desembargador Salomão Resedá, representando a presidente do Tribunal de Justiça Maria do Socorro Santiago; a procuradora regional do trabalho Virgínia Senna; e servidores da instituição. ​

Fotos: Humberto Filho / Cecom-Imprensa – Texto Redatora: Manuela Damaceno (DRT-AM 0172)