Seis órgãos estaduais implantam sistema que vai integrar corregedorias

Software possibilitará que procedimentos correicionais fiquem acessíveis a todas as unidades.

A Secretaria da Administração (Saeb) iniciou a implantação do sistema Bahia-PAD em seis órgãos públicos estaduais, este mês. Cedido gratuitamente ao governo baiano pela Controladoria Geral da União (CGU), o software possibilita a integração das ações correicionais entre todas as corregedorias do Estado.

Com a implantação do Bahia-PAD, os processos administrativos, sindicâncias e outros procedimentos correcionais ficarão disponíveis para todos os órgãos, em um mesmo sistema eletrônico. Os órgãos poderão fazer, em tempo real, consultas processuais, o acompanhamento dos prazos, a distribuição entre as comissões processantes, a emissão de relatórios, além de expedir certidão de nada consta.

A implantação do sistema conferirá mais eficiência e eficácia nas ações correicionais do Estado, evitando a duplicidade e o retrabalho, além de acabar com o isolamento entre a Corregedoria Geral e as corregedorias setoriais. “A Saeb vem implantando softwares que estão dotando o Estado de uma melhor infraestrutura, com o objetivo de aprimorar os controles e a gestão do Governo. Entre eles estão o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), software de processo eletrônico que vai eliminar o papel; o sistema SAP, software de recursos humanos mais usado no mundo; e agora o Bahia-PAD. Alguns foram cedidos sem custo para o erário, como o SEI e o Bahia-PAD”, declarou o secretário da Administração, Edelvino Góes.

Este mês, o sistema Bahia-PAD começou a ser instalado nas corregedorias do Detran, da Secretaria da Educação (SEC), da  Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), da Polícia Civil, da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap ) e do Departamento de Polícia Técnica (DPT). Outros dois órgãos já estão com sistema instalado e funcionando.

O Bahia-PAD está funcionando nas corregedorias gerais da Saeb e da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A meta é instalar o sistema em um total 13 órgãos públicos estaduais até o final do segundo semestre. O software ainda será implantado nas unidades correicionais da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Secretaria da Saúde, da Secretaria da Fazenda e da Procuradoria Geral do Estado.

Os órgãos estaduais que não possuem corregedoria ficarão para uma segunda etapa. Neste caso, a implantação do software ficará a cargo de uma comissão processante designada pelo mandatário de cada pasta, sob a orientação técnica da equipe da Corregedoria Geral da SAEB.