PMVC

UESB é contemplada em projeto do FINEP com nota máxima

Imagem: Fundesf.org – Texto: Ascom UESB

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) lançou, no final de dezembro de 2021, o Edital para Chamada Pública “Infraestrutura de Pesquisa em Áreas Prioritárias” (Proinfra), que tem por objetivo conceder apoio financeiro à aquisição de equipamentos, bem como às pequenas adaptações de instalação estritamente ligadas a estes. De acordo com o Edital, cada executora pôde participar de uma única proposta, com até dois subprojetos. 

A Uesb foi uma das poucas universidades brasileiras a alcançar nota máxima, ficando entre as 17 a conseguir esse feito, das mais de 250 propostas participantes.

Um dos subprojetos é o “Centro Multiusuário de Apoio em Análises em Tecnologia, Engenharia e Ciência de Alimentos” (Centecal), do professor Rafael Fontan, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos (PPGecal), campus de Itapetinga.

PMVC

De acordo com Fontan, o objetivo é efetivar a utilização de estruturas multiusuárias já existentes e melhorar o seu potencial de atuação com a inclusão de novos equipamentos com essas características, idealizado para dar suporte a todos os Programas que tenham relação direta ou indireta com o tema.

O professor pontua que, entre as diversas aplicações potenciais dos equipamentos solicitados, estão a identificação de resíduos de pesticidas, drogas veterinárias e micotoxinas em amostras de água, solos, produtos agrícolas, de origem animal e outros tipos de alimentos, contribuindo com a identificação de fraudes, adulterações e autenticidade de diversos produtos.

Deste modo, a expectativa é que, a partir da consolidação do Centecal, haja contribuição para o processo de desenvolvimento regional, crescimento econômico e redução de assimetrias sociais e na educação. “Nossa intenção é que essa estrutura seja, efetivamente, um vetor de transformação de realidades na nossa região e que possa, verdadeiramente, ser utilizada em todo o seu potencial”, pontuou Fontan.

O outro subprojeto aprovado é o Laboratório “Central de dados de imagem, fisiologia, bioquímica, marcadores corporais e desempenho físico para desenvolver métodos de diagnóstico de doenças” (ICPCBE), do professor Sérgio Yarid, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde (PPGES), campus de Jequié.

Segundo Yarid, o objetivo é adquirir aparelho para tomadas radiográficas panorâmicas digitais, que facilitará o diagnóstico de doenças da cabeça, face e pescoço, favorecendo, dessa forma, o tratamento e o desenvolvimento de pesquisas na área.

Além disso, a proposta contemplará um citômetro de fluxo, que é um equipamento composto basicamente por lasers, filtros, detectores e um sistema fluídico, sendo capaz de diferenciar e quantificar populações celulares, bem como organelas, microvesículas, microorganismos e, até mesmo, nanopartículas.

“Sua versatilidade explica o uso em pesquisas em diferentes áreas de conhecimento, sobretudo na área de Ciências Biológicas e da Saúde, mas não apenas, abarcando também uso nas áreas de Química, Ciências de Materiais, Agronomia, dentre outras”, esclareceu Yarid.

Investimento multiusuário – Ambos os subprojetos estão sob coordenação geral do professor Robério Rodrigues, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PPG) da Uesb.

Para Rodrigues, esse projeto marca um divisor de águas, uma vez que é uma ação institucional, que visa beneficiar vários Programas de Pós-Graduação da Universidade de forma simultânea. Nesse sentido, para melhor uso dos recursos, o pró-reitor articulou com os Programas a compra de equipamentos que serão usufruídos por todos.

“Nesse edital, ao invés de fracionar entre os Programas para que cada um solicitasse suas demandas dentro da cota de recursos, decidimos pela compra de equipamentos multiusuários, em que só um deles custa dois milhões e trezentos, justamente, para servir aos sete Programas envolvidos”, destacou Rodrigues.

Ainda conforme Rodrigues, alguns desses equipamentos trazem significativa evolução ao parque científico da Universidade, uma vez que “agregam uma série de possibilidades de realização de pesquisas de ponta, o que é muito importante para o fortalecimento dos nossos Programas de Pós-Graduação”.

Por fim, o pró-reitor enalteceu o papel das equipes de docentes e técnicos que compõem a proposta, especialmente o Bolsista PQ, que propiciaram a nota máxima em um dos subprojetos.