fbpx

Caixas d’água alto do Candeias expressam presença da Embasa em Vitória da Conquista

PMVC

Você mora onde? No alto do Candeias, próximo às caixas d’água da Embasa.

Os equipamentos que são referências para uma parte dos moradores de Vitória da Conquista são símbolos da presença da Embasa, que acaba de completar 53 anos.

Os reservatórios compõem o Sistema Integrado de Abastecimento de Água e, por serem vistos a distância, são utilizados para indicar onde está localizada uma área da cidade.

Juntos, os quatro grandes reservatórios do alto do Candeias possuem capacidade para acumular 23 milhões de litros de água (5.750 cada um) e são responsáveis por atender cerca de 145 mil imóveis conquistenses que consomem 60 milhões de litros de água em dias normais.

As duas primeiras câmeras foram entregues em 1971 quando o sistema de abastecimento foi construído pela antiga Superintendência de Engenharia de Saneamento do Estado da Bahia (Seseb) para atender cerca de 10 mil imóveis.

Pouco a pouco a água encanada substituiu a comercialização de água retirada da reserva do Poço Escuro e a água extraída de cisternas implantadas nos fundos dos quintais.

Entregue no início dos anos 2000, em conjunto com a operação definitiva da Barragem de Água Fria 2, a terceira câmera atendeu o crescimento da cidade registrado na década de 1990 e o reflexo do “Apagão” do sistema elétrico nacional.

A última câmera entrou em operação em 2022 quando ocorreu a ampliação do SIAA. 

Além destes quatro, a água tratada que chega aos lares e comércios conquistenses passa por outros 22 reservatórios secundários, 11 estações de bombeamento e 1.500 quilômetros de rede distribuidora.

Aos 53 anos, a Embasa prepara o maior plano de investimentos de sua história, com previsão de investir R$1,7 bilhão somente em 2024.

O objetivo é melhorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados, além de ampliar o acesso, atingindo as metas do marco legal do saneamento: 99% de atendimento com abastecimento de água e 90% de esgotamento sanitário até 2033.