fbpx

Parceria entre Coca-Cola e Tera Ambiental transforma resíduos industriais em fertilizantes

PMVC

O Dia Mundial da Reciclagem, celebrado em 17 de maio, evidencia de modo cada vez mais acentuado as ações de empresas voltadas à economia circular. Um exemplo é a parceria da Coca-Cola FEMSA Brasil e da Tera Ambiental, possibilitando que os efluentes gerados pela produção de bebidas transformem-se em fertilizantes orgânicos compostos.

Esse tipo de compromisso com a sustentabilidade responde a uma tendência presente na sociedade, conforme demonstra pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV): um terço dos consumidores brasileiros modificaram seus hábitos de consumo devido à preocupação com o meio ambiente. Para 41% desse contingente, as mudanças são permanentes.
     ‌ 

As pessoas querem saber cada vez mais se as empresas estão realmente comprometidas em preservar a natureza, a biodiversidade e os mananciais hídricos, adotando o uso consciente dos recursos, o tratamento dos resíduos e a reciclagem.

Tal preocupação coletiva impacta de modo paulatino todos os segmentos, incluindo a indústria de bebidas. Gradativamente, as companhias começam a rever seus processos, repensar a forma como operam e incluir em sua gestão indicadores pautados na sustentabilidade e nos princípios da governança ambiental, social e corporativa (ESG).
     ‌ 

Tal mobilização é necessária, considerando os volumes de resíduos atrelados à produção. Em 2020, o setor industrial brasileiro gerou 1,86 bilhão de quilos de resíduos não perigosos, pertencentes à Classe 2. Nessa categoria incluem-se os orgânicos. Os dados são do Inventário Nacional de Resíduos Sólidos, que integra o SINIR (Sistema Nacional de Informações).
     ‌ 

Nesse cenário, vale destacar uma prática que não apenas contribui para a redução da poluição, mas também para a produção de recursos valiosos para o solo: a reciclagem de efluentes e compostagem de resíduos orgânicos industriais com sua transformação em fertilizantes para a agricultura e projetos paisagísticos.

Há empresas que estão convertendo esse desafio em oportunidade, adotando práticas sustentáveis para o tratamento dos materiais de maneira responsável, como acontece na fábrica da Coca-Cola FEMSA Brasil em Jundiaí, a maior da marca no mundo em volume de produção.
     ‌ 

Referência em economia de água na fabricação de bebidas, a unidade fabril também é modelo de sustentabilidade na gestão eficiente de resíduos pós-industriais. Sua produção em Jundiaí gera milhares de metros cúbicos de efluentes.

O lodo advindo do tratamento desses resíduos são transformados em fertilizantes e os líquidos tratados voltam à natureza, atendendo aos mais rígidos padrões da legislação. Isso se dá devido a uma parceria com a Tera Ambiental, empresa especializada na valorização e transformação de resíduos orgânicos, que produz adubo agrícola por meio da compostagem em escala industrial.
     ‌ 

Só em 2023, a Tera Ambiental tratou 2.620 metros cúbicos de efluentes provenientes das atividades da Coca-Cola FEMSA, gerando 177 toneladas de lodo. Além de 48 toneladas de resíduos orgânicos enviados diretamente para a compostagem. Todos esses materiais foram processados, resultando em 86 toneladas de adubo de alta qualidade.
     ‌ 

“Essa parceria é um exemplo do potencial transformador da colaboração entre empresas na busca por soluções sustentáveis. Ao transformar os efluentes em fertilizantes, reduzimos o impacto ambiental e contribuímos para a economia circular e o desenvolvimento sustentável”, ressalta Lívia Baldo, especialista em gestão de resíduos e diretora comercial da Tera Ambiental.
     ‌ 

O tratamento adequado dos efluentes ajuda a reduzir a poluição da água. Também oferece solução sustentável para o manejo de resíduos industriais. O fertilizante orgânico produzido a partir de lodos industriais e sanitários é uma alternativa segura para a agricultura, promove a regeneração do solo e contribui para a produção agrícola ambientalmente sustentável.
     ‌ 

“Quando uma empresa reduz ao máximo os potenciais danos ambientais causados por suas atividades, priorizando ações como o tratamento e reciclagem de efluentes, por exemplo, eleva os seus níveis de confiança e faz com que o mercado a associe à preservação da natureza. Isso resulta na melhoria da imagem corporativa, não só diante de seu público, como também dos fornecedores, parceiros comerciais e da própria concorrência”, frisa a diretora da Tera Ambiental.
     ‌ 

“Ao celebrarmos o Dia Mundial da Reciclagem, é importante reconhecer o papel crucial que a inovação e o compromisso com a sustentabilidade desempenham na criação de um futuro mais verde e saudável”, enfatiza Lívia, afirmando: “A reciclagem de efluentes e a produção de fertilizantes orgânicos são exemplos inspiradores de como podemos transformar desafios ambientais em oportunidades para promover a saúde do planeta e das gerações futuras”.

Sobre a Coca-Cola FEMSA Brasil – Jundiaí
     ‌ 


A fábrica de Jundiaí completou 31 anos de inauguração e 21 anos de operação pela Coca-Cola FEMSA em 2024. Em mais de três décadas de atividades tornou-se a maior do sistema Coca-Cola no mundo em volume de produção e vem conquistando expressivos reconhecimentos pelo seu compromisso com a sustentabilidade, com a eficiência de seus processos e com a qualidade dos produtos que chegam aos consumidores. Instalada em área superior a 190 mil m², possui aproximadamente 1700 colaboradores (entre efetivos, temporários e terceirizados).
     ‌ 

Sobre a Tera Ambiental
     ‌ 


Empresa especializada na valorização de resíduos orgânicos líquidos e sólidos, por meio de soluções ambientais, como o tratamento de efluentes e compostagem termofílica. há mais de 25 anos, oferece alternativas seguras e eficazes de transformação de resíduos antes indesejados em novos produtos de qualidade e valor ambiental, com a produção de fertilizante orgânico composto destinado à agricultura.
     ‌ 

Sua conduta está ligada diretamente à responsabilidade ambiental, priorizando a integridade, criatividade e excelência em todas as atividades.
     ‌ 


Atendimento à imprensa

Ricardo Viveiros ﹠ Associados — Oficina de Comunicação: Simone Câmara//Larissa Souza.