fbpx

Brasil receberá encontro mundial contra corrupção

PMVC

Conferência é promovida pela Transparência Internacional e será realizado pela CGU e ONGs Ethos e Amarribo Brasil – que já ajudou a cassar dois prefeitos e agora avalia mecanismos brasileiros de combate à corrupção para OEA e ONU.

Com 12 anos de existência e uma folha de serviços prestados aos brasileiros que inclui muitas denúncias, dois prefeitos e alguns vereadores cassados e a criação de uma rede nacional que ensina municípios a combater a corrupção, a Amarribo Brasil agora parte para atuação internacional.

A ONG foi escolhida pela Transparência Internacional (TI) como sua representante no Brasil, e uma das primeiras responsabilidades será a realização da XV Conferência Internacional Anticorrupção (IACC), que acontecerá em Brasília de 7 a 10 de novembro de 2012.

O evento, bienal, é promovido pela TI e será realizado em parceria pela Amarribo Brasil, Controladoria-Geral da União (CGU) e Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social.

Para a Amarribo, a responsabilidade de receber o maior evento internacional de combate à corrupção representa um grande desafio, mas também uma ótima oportunidade de dar bons exemplos para o Brasil. De acordo com a entidade, os brasileiros estão cansados de tanta corrupção e impunidade, como mostraram os movimentos pelo país no início de setembro.

O anúncio foi feito pela promotora do evento, a ONG Transparência Internacional, em sua sede, em Berlim (Alemanha). A IACC é realizada desde 1983 e, desta vez, terá como tema: “Mobilizando Pessoas: Conectando Agentes de Mudança”. No Brasil, a conferência será feita em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU), a Amarribo Brasil representante da TI no país, e o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social.

A IACC é considerada o principal fórum global e independente de combate à corrupção, reunindo as principais lideranças globais da luta para eliminar seu impacto sobre a governança, a economia, o meio-ambiente e, principalmente, sobre o cotidiano da população, especialmente dos mais necessitados. O evento acontece de dois anos em dois anos.

Mais de 1,5 mil participantes de mais de 135 países devem participar na 15ª IACC, que reunirá líderes dos setores público e privado, jornalistas investigativos, representantes do Judiciário, autoridades de persecução penal, ativistas, acadêmicos e sociedade civil. A 14ª IACC, realizada em novembro de 2010, em Bangkok na Tailândia, apontou o caminho para o futuro na luta contra a corrupção: o movimento anticorrupção internacional decidiu dar nova ênfase ao combate à corrupção, mobilizando a sociedade civil, os setores privado e público, e as novas gerações.

Para tanto, é preciso novas ideias e, mais importante, uma interação intensa entre todos esses setores. Entre outras questões importantes para a prevenção e o combate à corrupção, o evento vai discutir novas formas de incentivar a promoção de mais transparência sobre os gastos públicos e ampliar a participação social no controle desses gastos e nas decisões de governo.

Para mais informações, visite o sítio da conferência no endereço: www.15iacc.org ou escreva para iacc@transparency.org. Controladoria-Geral da União – Assessoria de Comunicação Social Amarribo avalia mecanismos brasileiros de combate à corrupção para OEA e ONU Outra responsabilidade da Amarribo como representante nacional da TI foi a elaboração de um relatório avaliando o cumprimento do Brasil da Convenção Anticorrupção, assinado pelos países que integram a Organização dos Estados Americanos (OEA) em 1996.

O relatório aponta toda a legislação brasileira de prevenção à corrupção, a eficiência de seus mecanismos de fiscalização e os gargalos dos sistemas legislativo e jurídico, destacando os pontos mais críticos que estimulam a proliferação da corrupção pelos poderes públicos.

Entre esses gargalos, o relatório destaca a lentidão do judiciário, as possibilidades inúmeras de recursos e apelações, o foro privilegiado e a legislação desatualizada como os principais fatores da corrupção e da impunidade no Brasil.

“É preciso tornar o sistema penal mais ágil e mobilizar a população para que a guerra contra a corrupção comece a ser vencida”, afirma o vice-presidente do Conselho de Administração da Amarribo Brasil, Josmar Verillo. Um relatório com o mesmo objetivo, mas para a Organização das Nações Unidas (ONU), também está em fase final de desenvolvimento pela entidade. Sobre a Amarribo A Amarribo Brasil (Amigos Associados de Ribeirão Bonito) foi criada em 1999 por um grupo de executivos que eram “alguns dos filhos ilustres de Ribeirão Bonito”, no interior de São Paulo. A entidade ganhou notoriedade por fiscalizar e denunciar atos de corrupção na cidade e na região, e pela criação da cartilha Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil, com mais de 150 mil cópias distribuídas.

A Amarribo Brasil foi escolhida, em 2010, como representante da Transparência Internacional no Brasil. Hoje, é responsável, entre outras coisas, por avaliar para a Organização dos Estados Americanos (OEA) e para a Organização das Nações Unidas (ONU) os mecanismos legais e fiscais para combate à corrupção n o Brasil, bem como seu cumprimento e eficácia. www.amarribo.org.br

Na foto, da esquerda para a direita: Roberto Rocha Senior Manager de TI, Jorge Sanchez, da Amarribo, Jorge Abrahão Presidente do Instituto Ethos e Caio Magri, executivo do Instituto Ethos.