Seleção vence no México: 2 x 1

Mano Menezes emplacou a sua segunda vitória seguida fora de casa à frente da Seleção. Foto: Mowa Press/DivulgaçãoMano Menezes emplacou a sua segunda vitória seguida fora de casa à frente da Seleção
Foto: Mowa Press/Divulgação
Renato Pazikas
Direto de Torréon (México)

Era a vitória que Mano Menezes precisava. A Seleção Brasileira mostrou poder de reação e, mesmo com um jogador a menos desde os 43min do primeiro tempo, venceu o México de virada por 2 a 1 em Torreón, dando um fôlego a mais para seu treinador.

“Houve superação e indignação, que são fatores importantes. Não aceitamos a dificuldade, e a Seleção se tornou próxima do tamanho que ela pode ser”, afirmou Mano momentos após a partida, ainda no estádio Corona. “Foi um jogo para mudar a Seleção de patamar”, completou.

Com o triunfo convincente sobre um adversário que jogava em casa, não perdia há um ano e se transformou em carrasco do Brasil na última década, o técnico terá mais tranquilidade para trabalhar. Mano foi muito criticado pela eliminação nas quartas-de-final da Copa América diante do Paraguai e pelas derrotas contra Argentina, Alemanha e França, que são times de ponta do futebol mundial.

Mas o cenário começou a mudar nos jogos diante da mesma Argentina, pelo Superclássico das Américas. A vitória por 2 a 0 em Belém após o empate sem gols em Córdoba já deixou uma melhor impressão. Contra a Costa Rica, a Seleção voltou a ficar devendo, mas reencontrou o bom futebol e as belas jogadas diante do México.

 

O curioso é que os três destaques da vitória são jogadores deixados de lado por Mano quando ele assumiu o comando técnico, em agosto do ano passado. Apenas Jefferson estava na convocação diante dos Estados Unidos, mas foi reserva de Victor. Ronaldinho e Marcelo só retornaram ao grupo mais tarde.

“Eles estão aproveitando as oportunidades. Nós precisamos cada vez ter mais jogadores titulares. Essa é a missão, selecionar e encontrar os jogadores que farão parte de um grupo definitivo”, finalizou. Mano completou o 18º jogo com a Seleção, somando dez vitórias, cinco empates e três derrotas. O próximo adversário é o Gabão, dia 10 de novembro, em Libreville, capital do país africano.