fbpx

Governador Jaques Wagner recebe MST em audiência

PMVC

Governo baiano se reúne com dirigentes do MST e mobiliza secretários para atender demandas

Após caminhada que saiu de Camaçari à Salvador, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foi recebido pelo governador da Bahia Jaques Wagner (PT) na tarde deste sábado (10) para tratar a pauta de reivindicação. Durante a audiência, na governadoria, os dirigentes pediram celeridade nas investigações do assassinato do líder sem-terra Fábio Santos ocorrido há um ano, no município de Iguaí, além de infraestrutura para assentamentos e continuação das desapropriações de áreas para a reforma agrária e maquinários para a agricultura familiar. As demandas apresentadas ao governador pela comissão foram debatidas com secretários estaduais e representantes de órgãos, como Incra, EDBA, CAR, Sedes e SEC.

Após a audiência, Wagner foi ao público apresentar as propostas em ato na frente da governadoria. De acordo com o chefe do Executivo, a Secretaria de Segurança Pública vai apresentar um relatório das investigações do assassinato de Fábio Santos em 30 dias e se comprometeu em cumprir o acordo firmado em reunião. “Não recebo vocês fazendo favor, recebo porque acho que é uma obrigação de quem governa o estado. Sei que um dos motivos é a solução do crime contra Fábio, companheiro que foi assassinado porque lutava em defesa dos trabalhadores. O meu compromisso com a direção do MST, o compromisso do secretário de Segurança Pública é no máximo 30 dias apresentar o relatório final e os suspeitos da morte de Fábio”, declara o governador.

Na pauta de reivindicações, que foi comprometida pelo governo com a direção do MST, consta a construção de quadras esportivas em assentamentos, de escolas, a doação de 15 tratores e máquinas agrícolas via Ministério de Desenvolvimento Agrário e a conclusão do trabalho no extremo sul com as empresas de celulose. “Estamos concluindo e vamos ter 30 mil hectares de terra na parceria com a empresa de celulose, estabelecendo uma convivência e vamos ter um projeto de reforma agrária que vai ser exemplar para a Bahia e para o Brasil”, completa Wagner. O governador também foi ao governo federal interceder para destinar parte dos perímetros irrigados do Salitre, Baixio de Irecê e Nilo Coelho para fazer assentamento. O processo de negociação gerou tensão e conflito nas regiões.

Para o dirigente nacional do movimento, Márcio Matos, as negociações com o governo foram “positivas”, mas ressalta que há ainda muito para alcançar. De acordo com ele, os militantes agora retornam para seus territórios para o Dia das Mães e destaca que a intervenção do governo nas áreas de perímetros irrigados já beneficiou mais de mil famílias, que estão vivendo nessas terras. Existem em funcionamento mais de 10 escolas de nível médio nos assentamentos de reforma agrária da Bahia com mais de 2 mil alunos. “Estamos agora pactuando com o governador a ampliação das escolas já existentes e a construção de quatro novas de nível médio. A questão das quadras poliesportivas que o governo anunciou já era um compromisso anterior”.

 

https://www.dropbox.com/s/ln7cbqq20xaxjpv/00043.MTS