fbpx

“Índio” reencontra família perdida 25 anos atrás

PMVC

Texto e imagens: Secom PMVC

Equipes dos programas Consultório na Rua e do CAAV, mantidos pela administração municipal ajudaram na localização dos parentes.

A vida de Luís Omar Batista, 50 anos, ex-morador em situação de rua, ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (14).

Ele reencontrou a família depois de cerca de 25 anos, com a ajuda das equipes do Consultório na Rua, Centro Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária e do Centro de Atenção à Vida (Caav), onde vinha recebendo assistência de saúde desde o ano passado.

Luís, também apelidado como Índio, conta que deixou a sua cidade natal de Uibaí (BA), região de Irecê, a 503 km de Salvador, e chegou em Vitória da Conquista já em situação de rua, onde passou a trabalhar como flanelinha no bairro Brasil.

Depois encontrou um ponto de motos, nas proximidades da Praça Tancredo Neves, onde trabalhou como guardador por 17 anos e ficou conhecido por todos na região.

Ele relatou que a difícil vida enfrentada nas ruas o levou também aos vícios da embriaguez e a outras drogas, e colaborou para os problemas de saúde.

Com o apoio da equipe do Consultório na Rua, que presta atendimento diário às pessoas em situação de vulnerabilidade social, ele foi encaminhado para outros serviços da rede municipal de saúde, onde ele foi acompanhado e teve todos os atendimentos de saúde necessários.Luís Omar

No fim do ano passado, Luís estava com a saúde bastante debilitada. “Quando foi um dia que eu não estava nem aguentando mais caminhar, cheguei e caí na porta do serviço, e uma das meninas me pegou. Eu só tenho que agradecer às enfermeiras e aos médicos, que sempre me ajudaram do começo ao fim. Abaixo de Deus, hoje eu estou em pé, suspirando vivo, por causa desse pessoal”, lembrou Luís.

No Centro Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária, onde ele vinha sendo acompanhado nos tratamentos de tuberculose e hanseníase, é visível o vínculo de afeto criado com a equipe, que está confiante de que ele irá reconstruir a vida ao lado da família.

“Já fizemos relatórios de encaminhamento para ele dar continuidade aos tratamentos lá. Antes ele não queria, mas graças a Deus ele já está querendo encontrar a família e recomeçar a vida. A gente espera que ele reconstitua tudo o que deixou para trás, o que ele perdeu, e que ele trate da saúde”, afirmou a enfermeira do Centro Municipal, Eliene Sousa, em nome de toda a equipe.

Parte da equipe do Centro Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária

Nos últimos 15 dias, Luís também esteve abrigado e sendo acompanhado pela equipe do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD III).

Das ruas pra casa

No reencontro, o irmão de Luís, seu Raimundo Batista, disse emocionado que ficou aliviado de receber notícias do irmão e não mediu esforços para levá-lo de volta para casa. “Graças a Deus que a gente encontrou, porque eu nem sabia onde andava. Agora ele vai embora e tem que aquietar por lá, porque a gente não quer essa vida pra ele não. Ele deu muita sorte, porque senão ia morrer aqui à toa. Todo dia ele pode orar e agradecer a Deus por esses anjos que botou na vida dele”, disse Raimundo.

Os irmãos Luís e Raimundo

Luís ainda disse que está disposto a retomar a sua vida. “Agora minha família chegou, estou indo pra casa, retornando ao meu lar, sair da situação de rua, que não é fácil, e recuperar minha saúde que eu perdi na rua”.

As equipes de saúde de todos os serviços onde Luís foi atendido, no município, passou todas as orientações à família e garantiu a documentação necessária para que ele possa seguir com tratamento nos serviços de saúde da sua cidade, além dos medicamentos de uso contínuo para os próximos meses.